Resenha de Novembro de 63 – Stephen King

O que você faria se pudesse impedir um acontecimento trágico que talvez tenha mudado a história de todo o mundo?

Esse é o dilema em que Jake Epping se encontra quando seu amigo Al o encarrega da missão de evitar o assassinato de John Kennedy. Os dois estão em 2011, enquanto a morte do então presidente dos Estados Unidos aconteceu há mais de 40 anos, em 1963. Mas Al conhece um jeito de voltar no tempo: um portal na despensa de sua lanchonete, que transporta qualquer pessoa para o ano de 1958.

Eu sempre soube que iria amar Novembro de 63. Mas Stephen King me surpreendeu uma vez mais e superou qualquer alta expectativa. Como a grande maioria das histórias que envolvem viagem no tempo e realidades paralelas, a de Jake Epping é baseada na Teoria do Caos. No entanto, King criou algumas particularidades dentro da trama, que permitiram explorar o enredo com certa originalidade.

A combinação entre realidade e ficção é perfeita, e nos faz passear por dois extremos: um em que o assassinato de Kennedy é apenas uma invenção de King; e outro em que tudo é real, inclusive a jornada de Jake. E para além da viagem no tempo, Novembro de 63 também é uma grande história de amor. Intenso, envolvente e emocionante, o romance se torna um dos pilares da trama e acaba se transformando em um dos fatores determinantes para o desfecho da jornada épica.

Aos fãs de It, já deixo o aviso: uma parte de Novembro de 63 se passa em Derry, no final daquele fatídico verão. E chega a ser mágico enxergar a cidade, visual e sensorialmente, pelo ângulo de Jake, um forasteiro não só do espaço, como também da época.

Uma história sobre a subjetividade do tempo, Novembro de 63 nos faz questionar a realidade e sua fragilidade. Se o destino existe, nossas ações podem mudá-lo? Ou tudo o que fazemos já faz parte do “roteiro”? Já pararam para pensar sobre como cada segundo da nossa vida é uma possibilidade de transformação? E que o passado, o presente e o futuro convergem sempre no agora?

Reflexões não faltaram durante Novembro de 63, e eu não queria que a leitura acabasse. Mas, na verdade, não acabou mesmo. Porque as boas histórias… Elas são à prova do tempo e nunca chegam ao fim.

Título original: 11/22/63
Autor:
Stephen King
Tradutora: Beatriz Medina
Editora: Suma
Publicação original: 2011

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s