Sobre Alucinadamente Feliz, de Jenny Lawson

Não sou de abandonar leituras, pois sempre acabo me perguntando se o livro iria melhorar ou, na pior das hipóteses, curto falar mal das obras com propriedade (hahaha!). Mas, ao mesmo tempo, sou a favor de que ler seja um hobby, um prazer, e não uma obrigação ou cobrança. Por isso, quando uma leitura não flui de jeito nenhum, abandono (quase) sem dó. Em 2016, porém, havia terminado todos os livros que comecei e estava muito orgulhosa – sempre largo alguns durante o ano. Até que comecei Alucinadamente Feliz.

Só vi elogios ao livro de Jenny Lawson, então, nem passou pela minha cabeça que a leitura poderia não me agradar. Jenny sofre de depressão, ansiedade, distúrbio de automutilação, transtornos de personalidade e despersonalização e tricotilomania. E, no livro autobiográfico, ela mostra como decidiu lidar com todas essas condições mentais: vivendo de maneira alucinadamente feliz. Então, além dos comentários positivos, fui atraída também pela sinopse e premissa da obra, já que me interesso bastante por transtornos mentais e gosto quando os tratam de maneira honesta. No entanto, mesmo assim, a leitura não me agradou e eu me vi obrigada a abandoná-la.

Não sei dizer o que exatamente deu errado. Quando comecei Alucinadamente Feliz, li umas 50 páginas rapidinho e estava achando o livro super divertido, apesar da temática. De repente, empaquei de uma maneira irritante e não conseguia sair do lugar por nada – e não era por falta de tempo ou vontade de ler. Foi quando parei de rir das piada de Jenny e comecei a achá-las forçadas demais. Eu amo humor negro/ácido, mas não conseguia encontrar uma maneira de me identificar com as piadas da autora.Então, resolvi me render e desisti.

De novo, não sei o que deu errado. Então, não estou aqui para fazer ninguém desistir da leitura e, sim, para compartilhar a minha experiência com o livro. Como disse antes, Alucinadamente Feliz recebeu muitos elogios, inclusive de gente que tem opiniões parecidas com as minhas. Então, até pretendo retomar a leitura e ver no que dá. Mas, por enquanto, a obra de Jenny Lawson é apenas a única leitura abandonada de 2016 :(

Título original: Furiously Happy
Editora: Intrínseca
Autor: Jenny Lawson
Ano: 2015
Páginas: 352

selo2016

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s