Resenha de Confissões do Crematório – Caitlin Doughty

Se você tem medo da morte, acredite: Confissões do Crematório é a leitura perfeita para você.

Quando começou a trabalhar em um crematório na Califórnia, Caitlin Doughty não poderia imaginar em tudo o que aprenderia. Não, não estamos falando (só) sobre barbear cadáveres ou cremar pernas solitárias. E, sim, sobre como encarar a vida e a morte. No livro, a autora fala abertamente sobre a indústria funerária e nos faz pensar sobre como tratamos “nossos mortos”. Seus relatos extremamente honestos e repletos de senso de humor são enriquecidos por fatos históricos, reflexões filosóficas e curiosidades sobre como diferentes culturas lidam com a morte.

Se você soubesse que, após o último suspiro, desembarcaria em campos floridos, onde não há dor nem sofrimento, para reencontrar seus entes queridos, você teria medo de morrer? Talvez não. É difícil falar sobre a morte porque é difícil falar sobre tudo o que é não só desconhecido, como também definitivo. E a verdade é que a nossa tendência a não abordar certos assuntos só contribui para que eles se tornem tabus. No entanto, para mim, sempre foi também libertador pensar e conversar sobre a morte. E é o que farei aqui:

Eu tinha 10 anos quando quase perdi a minha mãe pela primeira vez. Mais de duas décadas se passaram, mas lembro do dia e da sensação até hoje. Nos 9 anos seguintes, passei por essa situação mais algumas vezes, até de fato perdê-la. Ter lidado com a iminência da morte desde cedo não tornou o momento mais fácil. Nunca estamos preparados para algumas coisas na vida, e perder quem amamos é uma delas. Mas, depois de enfrentá-la, passei a enxergá-la menos como um fim, mais como um recomeço.

Não tem como “exigir” que uma pessoa que nunca viu a morte de perto queira falar sobre ela. Tudo tem o seu tempo. Mas é importante tentar desmistificá-la. Eu sei, não temos como saber como é deixar esse mundo (se é que deixamos) até que aconteça com a gente. Mas, enquanto eu viver, vou tentar ver a morte da melhor maneira possível. Como algo natural e necessário. Nem sempre vamos entender seus “comos” e “por ques”. Mas do que adiantaria se, no final, não podemos evitá-la?

Título original: Smoke gets in your eyes: and other lessons from the crematory
Autor: Caitlin Doughty
Editora: DarkSide Books
Ano: 2014

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s