Resenha de Constance Zahn: O Guia Essencial de Casamento – Constance Zahn

img_1230

A resenha de hoje é especial porque, como trabalho com a Constance Zahn (a.k.a. autora do livro <3), pude acompanhar um pouquinho do processo de produção de Constance Zahn: O Guia Essencial de Casamento. Então, eu admito que minha opinião é um pouco suspeita, mas juro que é também 100% sincera!

Encontre o melhor preço de Constance Zahn: O Guia Essencial de Casamento

Como o próprio título já diz, Constance Zahn: O Guia Essencial de Casamento traz dicas práticas e indispensáveis para as noivas, que prometem orientar os casais durante todo os preparativos. Lista de convidados, convite, decoração, buffet, look do noivo (e também madrinhas, mães, daminhas e pajens), destination wedding e até lua de mel são apenas alguns dos assuntos abordados no livro.

A minha parte preferida é, claro, a de moda e beleza! E já adianto que tem tudo para o look mais especial da vida: além de traçar o estilo da noiva, Constance também fala sobre cada detalhe do visual – desde o sonhado vestido até as unhas, passando por cabelo, maquiagem, bouquet… E para ilustrar as dicas, o guia conta com lindas fotos (muitas da vida real!), que foram escolhidas a dedo.

É claro que, em um livro sobre casamento, não poderia faltar uma boa dose de romance. Mas, com o senso de humor sempre presente, Constance torna o casamento palpável, ao mesmo tempo em que mantém a atmosfera de sonho em torno do grande dia! E o que mais gostei dessa leitura deliciosa foi perceber que, independentemente do estilo ou tamanho do casamento, o que realmente importa é o motivo da celebração: o amor!

Título original: Constance Zahn: O Guia Essencial de Casamento
Editora: Paralela
Autor: Constance Zahn
Ano: 2017
Páginas: 280
Tempo de leitura: 1 dia
Avaliação: 5 estrelas

Resenha de Adeus, por enquanto – Laurie Frankel

Gênio da informática, Sam Elling trabalha em um site de encontros, até o dia em que cria um algoritmo capaz de mapear o par perfeito para cada pessoa. A ferramenta funciona tão bem, que se torna uma ameaça para a empresa, causando a demissão de Sam. Mesmo assim, ter criado o algoritmo faz tudo valer a pena, já que, sem ele, Sam nunca teria encontrado Meredith, sua própria alma gêmea. Logo depois que os dois começam a namorar, Livvie, a avó de Meredith, morre subitamente. Para ajudar a namorada a superar a perda, Sam cria um novo algoritmo que reúne e-mails, SMS’s, conversas por vídeo e postagens em redes sociais de quem já se foi para gerar uma simulação em texto ou em vídeo. Extremamente real, a nova ferramenta não apenas ajuda Meredith a passar pelo momento de luto, como também se torna um negócio rentável, porém duvidoso.

Encontre o melhor preço de Adeus, por enquanto

O título e a sinopse de Adeus, por enquanto com certeza chamariam a minha atenção logo de cara. Mas, antes que eu me deparasse com a obra, a Angela me recomendou o livro, que entrou para a lista na mesma hora. Depois de ler Cujo, fiquei com vontade de uma leitura que fosse leve, mas não vazia ou superficial. Achei que Adeus, por enquanto se encaixava nos pré-requisitos, e acertei! Ao mesmo tempo em que é super fácil de ler, a obra de Laurie Frankel mostra como a morte (ou a iminência dela) assusta, desespera e transforma não apenas quem vai, mas também quem fica.

Devo ser sincera e dizer que esperava um pouco mais de Adeus, por enquanto, especialmente em relação à emoção (sim, eu estava a fim de dar uma choradinha!). E tenho certeza de que o que me impediu de me envolver mais com a trama foram os personagens: Meredith me irritou bastante com seu jeito de “dona da verdade” mimada, enquanto Sam se revelou um belo pau mandado, com muita genialidade e pouca personalidade. Entre os personagens secundários, nenhum realmente me cativou – o divertido e espontâneo Dash foi de quem mais gostei, mas meio que por falta de opção.

Em uma mistura de Be right back (episódio de Black Mirror, lançado um ano depois do livro) com Inteligência Artificial, Adeus, por enquanto propõe também dilemas morais interessantes. E a principal discussão é: até que ponto conversar “em tempo real” com um ente querido falecido realmente ajuda no processo de luto? Eu mesma, confesso, não cheguei a uma conclusão. E é assim, tratando o luto de forma honesta e realista, que Adeus, por enquanto nos faz refletir e ver que, no fim das contas, partir ou ficar levam ao mesmo caminho: o da redenção.

Título original: Goodbye for now
Editora: Paralela
Autor: Laurie Frankel
Ano: 2012
Páginas: 376
Tempo de leitura: 5 dias
Avaliação: 3 estrelas

Resenha de O Bebê de Bridget Jones (Bridget Jones #4) – Helen Fielding

Processed with VSCO with hb2 preset

Bridget Jones continua solteira e, mais do que nunca, sonha em ser mãe – até porque seu relógio biológico já não tem mais todo o tempo do mundo! Depois de dias especialmente movimentados, ela descobre que está, enfim, grávida! O único detalhe é: Bridget não sabe quem é o pai e tem duas apostas – Mark Darcy ou Daniel Cleaver?

Encontre o melhor preço de O Bebê de Bridget Jones

A série de Helen Fielding é sempre uma surpresa na minha vida de leitora. Li O Diário de Bridget Jones e Bridget Jones: no limite da razão em 2006. E, na época, não gostei muito dos livros – sempre preferi os filmes! Hoje, acho que foi por causa da idade – eu tinha 18 anos e provavelmente não me identificava tanto com as situações que Bridget enfrentava. Já em 2013, foi lançado Bridget Jones: louca pelo garoto, que não tem “apenas” Mark Darcy. Chiei, chorei e esperneei. Mas decidi ler e, para a minha surpresa, amei! E então, chegou a hora de ler O Bebê de Bridget Jones, que se passa antes do terceiro livro.

Bridget é a típica personagem de chick lit. Mas, apesar de fazer milhares de besteiras, nunca me irrita. Talvez seja por ser tão engraçada e divertida – sempre rio, literalmente, com as viagens dela! No quarto volume da série, temos mais uma vez o embate entre Mark Darcy e Daniel Cleaver. O que poderia ser cansativo, se não fossem… bem, Mark, Daniel e Bridget. E, claro, sabemos quem vai “vencer” no final. Mas, como disse na resenha de The boy is back, não tenho problemas com histórias previsíveis, desde que eu não esteja esperando por uma trama surpreendente. E, no caso de séries como Bridget Jones, a gente QUER ter o “controle” sobre o que vai acontecer… Pelo menos comigo é assim.

O Bebê de Bridget Jones é tão fluido e fácil de ler, o  único defeito é ser tão curtinho! Provavelmente, se fosse maior, não faria sentido – a trama gira basicamente em torno do mistério em torno do pai, sem muitas subtramas. Mas de Mark e Bridget nunca é suficiente <3

Título original: Bridget Jones’s Baby
Editora: Paralela
Volumes anteriores: O Diário de Bridget Jones, Bridget Jones: no limite da razãoBridget Jones: louca pelo garoto
Autor: Helen Fielding
Ano: 2016
Páginas: 203
Tempo de leitura: 2 dias
Avaliação: 5 estrelas

selo-cia-das-letras