Resenha de A Maldição – Stephen King

Bill Halleck foi amaldiçoado!

Advogado bem-sucedido, Bill levava uma vida tranquila e estável ao lado da esposa e da filha. No entanto, tudo mudou quando eles se envolveram em um acidente de trânsito, que terminou com a morte de uma velha cigana. Inocentado no tribunal, Bill foi tocado pelo patriarca dos ciganos, recebendo uma maldição que transformou sua vida drasticamente.

Logo, o advogado começa a perder peso sem qualquer explicação e vê seus 111 quilos serem dizimados pouco a pouco. Em uma corrida contra o tempo, ele sabe que a única solução é encontrar uma forma de reverter a maldição – se é que isso é possível.

Para mim, é sempre difícil fugir das expectativas geradas por um livro de Stephen King – ou, nesse caso, Richard Bachman. Apesar disso, eu confesso que não tinha um palpite muito certo sobre qual seria a minha relação com A Maldição. E talvez, isso tenha contribuído para que a leitura me surpreendesse. Não chegou a se tornar um favorito, mas foi um livro que não consegui largar até finalizar.

Mais uma vez, King parte de uma premissa totalmente fantasiosa, mas não tem dificuldade em nos fazer acreditar em nada. Em A Maldição, o autor explora os conceitos de justiça e culpa e como cada pessoa reage a eles. Foi muito interessante acompanhar a “evolução” de Bill Halleck, que passa por um intenso processo de transformação, interna e externa. E a forma como King trabalhou os sentimentos e pensamentos do personagem foi o diferencial da trama.

Publicado anteriormente como A Maldição do Cigano, o livro sempre me deixou com um pé atrás em relação à representação dos povos romani. E, sim, King se apoia em estereótipos para construir o ponto de partida de sua história. Ao mesmo tempo, expõe o preconceito, a marginalização e a perseguição que, infelizmente, fazem parte da vida dos ciganos.

Mais de três décadas se passaram desde a publicação da história de Bill Halleck, e King voltou à premissa da perda de peso inexplicável em Ascensão. Apesar das similaridades, é incrível como as duas histórias seguem por caminhos completamente diferentes, evidenciando a criatividade e a versatilidade do autor. Com um desfecho enlouquecedor, A Maldição pode não ser uma leitura indispensável de Stephen King. Mas é um ótimo passatempo, com direito a boas reflexões.

Título original: Thinner
Editora: Suma
Autor: Stephen King
Tradução: Louisa Ibañez
Publicação original: 1984

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s