Resenha de Ecos – Pam Muñoz Ryan

Cinquenta anos antes da Primeira Guerra Mundial, Otto se perde na floresta e encontra Eins, Zwei e Drei. As três irmãs são prisioneiras de uma bruxa, mas, com seus poderes encantados, ajudam o garoto a encontrar o caminho para casa. Como agradecimento, Otto promete libertá-las, levando seus espíritos dentro de uma gaita. Nos anos seguintes, o instrumento encontra novos donos, conectando-os em suas dores, angústias e histórias.

Em Ecos, Pam Muñoz Ryan nos presenteia com três histórias de sensibilidade e beleza únicas. Na primeira, conhecemos Friedrich, que vê o sonho de se tornar músico impossibilitado pelo Nazismo. Em seguida, somos apresentados a Mike, um pianista singular, que vive em um orfanato e está disposto a tudo para não se separar do irmão caçula, Frankie. E por fim, chegamos a Ivy, que, ao lado dos pais imigrantes mexicanos, cuida da casa de uma família japonesa enviada a um campo de concentração norte-americano durante a Segunda Guerra Mundial.

As três histórias se passam entre 1933 e 1942, estando conectadas pelo contexto histórico da SGM e também da Grande Depressão, que afetou os Estados Unidos durante a década de 1930. Mas, mais do que isso, Friedrich, Mike, Frankie e Ivy estão ligados pelo amor à música e pela importância da arte, especialmente em tempos difíceis.

Eu me apaixonei pelos três contos, pois cada um é especial à sua maneira. Mas não poderia deixar de ressaltar o quanto o capítulo de Ivy me tocou, por mostrar a discriminação que os imigrantes japoneses e seus descendentes enfrentaram durante a SGM. Essa história me levou de volta a uma conversa com a minha batian, que chegou ao Brasil em meados da década de 1930. Há alguns anos, ela me contou que, durante a guerra, era preciso tomar cuidado, pois três japoneses conversando na rua já poderia ser considerado conspiração.

Uma combinação perfeita entre fantasia com toques sombrios, drama e ficção histórica, Ecos fala sobre o precioso sentimento de pertencer, o poder de acreditar no impossível e as pequenas grandes guerras que travamos em nossas vidas. E é também um poderoso lembrete de que nossas histórias são como ecos que transcendem o tempo e o espaço, nos conectando através daquilo que é tão único quanto universal: nossos sentimentos.

Título original: Echo
Editora: DarkSide Books
Autora: Pam Muñoz Ryan
Tradução: Dalton Caldas
Publicação original: 2015

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s