Resenha de Uma princesa em Tóquio – Emiko Jean

Izumi Tanaka vive apenas com a mãe em uma pequena cidade da Califórnia. Uma das poucas descendentes de japoneses da região, Izzy, como prefere ser chamada, nunca sentiu que se encaixava completamente. Quando desvenda a identidade de seu pai, ela encontra a chance de descobrir mais sobre quem é e quem gostaria de ser.

Logo, Izumi está em um avião, rumo ao país de seus ancestrais, para conhecer o pai – que, por acaso, é também o príncipe herdeiro do Japão. Lá, a garota entende que a vida de princesa não é nada fácil e que encontrar o seu lugar no mundo não é tão simples quanto pareceu por um momento.

Eu nem sei por onde começar a falar sobre o quanto me senti representada por Uma princesa em Tóquio. Mas vou tentar.

Em primeiro lugar, é difícil encontrar livros com representatividade japonesa – coreana ou chinesa são mais comuns e, diferente do que muita gente pensa, não é “tudo a mesma coisa”. Então, foi muito especial me reconhecer na história em um nível diferente, em aspectos que fizeram parte da minha criação ou que ainda são presentes no meu dia a dia e também em questionamentos ligados à identidade de raça.

Izumi é uma protagonista cativante e real. Ou seja, tem qualidades e defeitos, erra e acerta. O melhor é que ela aprende com suas falhas e trabalha para melhorar. Com a personagem, Emiko Jean quebra diversos estereótipos, mas sem precisar chamar a atenção para isso. É até possível que muitas dessas desconstruções passem despercebidas. Mas, para quem está acostumado a ser estereotipado, a identificação será instantânea.

A presença da realeza na história poderia ser apenas uma forma de explorar a premissa da princesa urbana, que muitas pessoas gostam (eu, inclusive). No entanto, quando Izumi passa a fazer parte da família real, é como se os questionamentos sobre identidade fossem potencializados: a sensação de pertencimento da protagonista contrasta com o receio de não se encaixar ou de não estar à altura. Também gostei muito de como a autora evitou romantizar a monarquia japonesa, principalmente ao desafiar seu sistema patriarcal.

Com um romance delicioso de acompanhar, Uma princesa em Tóquio é um conto de fadas moderno, que eu indico para qualquer pessoa que goste de histórias do tipo! Mas confesso que o que realmente me ganhou na trama foi a representatividade. Em certo ponto da trama, percebi que alguns personagens ganhavam o rosto do meu pai ou do meu ditian. E só quem passou anos sem se enxergar nas histórias sabe o quanto isso significa.

Título original: Tokyo Ever After
Editora: Seguinte
Autora: Emiko Jean
Tradução: Raquel Nakasone
Publicação original: 2021

Advertisement

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s