Resenha de A Casa Holandesa – Ann Patchett

Casa Holandesa não pertencia mais a Maeve e Danny. Mas os dois irmãos, de alguma forma, ainda pertenciam a ela.

A riqueza nunca fez parte da vida de Cyril Conroy. Até que, depois da Segunda Guerra Mundial, ele entra para o ramo imobiliário e começa a construir um verdadeiro império. Para celebrar a nova condição de vida, Cyril compra a extravagante Casa Holandesa. O que ele não sabe é que este será o início do fim de sua família.

Acompanhamos a história dos Conroy pela perspectiva de Danny, a partir do momento em que ele e Maeve são expulsos de casa pela madrasta. De volta à pobreza, os dois se unem ainda mais, tornando-se o porto seguro um do outro. Assim, a vida inevitavelmente segue em frente, mas a verdade é que os irmãos não conseguem superar as injustiças do passado.

A Casa Holandesa foi finalista do Prêmio Pulitzer 2020, o que foi o suficiente para me deixar curiosa sobre a obra. Quando soube que o livro também traria dramas familiares, tive a certeza de que seria uma leitura perfeita para mim. E Ann Patchett não decepcionou. Mas também não surpreendeu.

Danny e Maeve são o tipo de personagem a quem nos apegamos, apesar de suas falhas ou justamente por conta delas. Em compensação, Andrea, a madrasta, é absolutamente intragável. Ao longo da leitura, questionei muitas vezes a fixação dos irmãos pela casa e pelo passado. Mas também me coloquei no lugar deles e cheguei à conclusão de que seria fácil demais simplesmente julgá-los. Então, optei por me esforçar para compreendê-los.

A Casa Holandesa mostra como as vidas de Danny e Maeve foram completamente impactadas pelo passado. E é possível trazer a reflexão para a esfera pessoal, se pensarmos em como acontecimentos determinantes influenciaram em nossas decisões e escolhas.

Confesso que o desfecho de A Casa Holandesa foi quase um anticlímax para mim. Esperei segredos e revelações, mas encontrei justificativas que não me convenceram. No entanto, a leitura valeu a pena por falar sobre perdão de uma maneira muito singela e por, de certa forma, ressignificar o conceito de família.

Título original: The Dutch House
Autora:
Ann Patchett
Tradutora: Alessandra Esteche
Editora: Intrínseca
Publicação original: 2020

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s