Resenha de O Timbre – Neal Shusterman

Após os últimos acontecimentos de A Nuvem, Perdura afundou, arrastando para as profundezas do oceano sua história e a vida de grandes integrantes da Ceifa. Para muitos, foi um acidente catastrófico, mas para a Nimbo Cúmulo, que a tudo assistiu sem poder interferir, tratava-se de uma monstruosidade imperdoável.

Para ensinar uma lição à humanidade, a inteligência artificial se calou. Seus conselhos não mais seriam dados e sua voz não mais seria ouvida, seria cada um por si. Essa punição silenciosa trouxe desespero para todos, deixando-os cada vez mais confusos, solitários e sem propósito.

Com os grandes ceifadores fora do caminho e a humanidade atordoada e sem direcionamento da Nimbo Cúmulo, o cargo de Alto Punhal da MidMérica (mais poderoso da região), ficou a disposição de Goddard, que usará toda a sua influência para que seu poder exerça dominação absoluta da Ceifa.

Como Alto Punhal Supremo, Goddard tem a autoridade que almejou para promover os massacres que sempre defendeu. Até que, desenterrado das profundezas do oceano, algo promete colocar em perigo seus planos mais malignos.

O Timbre é o terceiro volume da trilogia Scythe de Neal Shusterman, que finaliza a história de uma humanidade governada por uma inteligência artificial denominada Nimbo-Cúmulo. Nesse mundo ideal, não existem diferenças sociais, fome, guerra e doenças. Toda a humanidade possui qualidade de vida e o meio ambiente está longe de sofrer as ameaças ao qual estamos acostumados, no entanto, a corrupção e a briga pelo poder permanecem corrompendo o sistema.

Narrado em terceira pessoa, O Timbre entrega uma trama mais lenta se compararmos aos volumes anteriores, porém, diferente de seus antecessores, ele vem não apenas para fechar as pontas soltas dessa história, mas também, para entregar detalhes que enriquecem a obra, apresentando os dramas mais profundos vividos por cada um de seus personagens.

E se anteriormente nos encantamos pela inteligência artificial, aqui ela ganha de vez o coração do leitor, mostrando todas as suas camadas e transformando-se em uma favorita. Novos personagens são inseridos e ganham voz nessa trama, o que pode deixar alguns leitores confusos sobre o desfecho que está por vir, mas não se preocupem, Shusterman sabe o que faz e com certeza irá te surpreender ao fim.

Repleto de suspense, ação e reviravoltas, O Timbre cumpre o que promete e finaliza essa trilogia que traz inúmeras reflexões, a principal delas? A certeza de que sempre estaremos longe de alcançar a perfeição.

Título original: The Toll
Autor: Neal Shusterman
Tradução: Guilherme Miranda
Volumes anteriores: O CeifadorA Nuvem
Editora: Seguinte
Ano: 2019

*Resenha assinada por Glaucia Cassia, do blog Mais que livros

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s