Vale a pena assistir Mr. Mercedes?

Mr. Mercedes foi apenas o quinto livro de Stephen King que li, lá em 2016. E, com certeza, contribuiu muito para que eu me tornasse fã incondicional do autor. Afinal, a Trilogia Bill Hodges reúne elementos que King sabe muito bem como usar. Entre eles, personagens extremamente humanos e cativantes, um vilão doentio e cruel e um toque sobrenatural inesperado – mas surpreendentemente convincente.

Em 2017, foi lançada a série inspirada em Mr. Mercedes. E eu demorei, mas, enfim, assisti às três temporadas e estou aqui para compartilhar a minha opinião com vocês!

Em primeiro lugar, preciso ressaltar o casting perfeito! Brendan Gleeson é exatamente o Bill Hodges que eu imaginava e Harry Treadway não poderia ter personificado a perversidade de Brady Hartsfield com mais perfeição. Mas, para mim, o ponto alto da série é Holly Gibney! A personagem rouba a cena em diversos momentos nos livros e, ao longo das três temporadas de Mr. Mercedes, não foi diferente: às vezes, a sensação é a de que King se inspirou em Justine Lupe para criar Holly, e não o contrário.

Não posso dizer com precisão até que ponto a série foi fiel à obra original porque já faz muito tempo que li e a maioria dos detalhes já me escaparam. Lembro o suficiente, porém, para saber que, apesar das mudanças e adaptações, a história da primeira temporada segue basicamente o mesmo roteiro do primeiro livro.

Já a segunda é uma mistura entre Achados e Perdidos Último turno, que completam a trilogia original. E achei que foi uma ótima ideia, já que boa parte do segundo livro acontece no passado, o que faz com que Bill Hodges e companhia demorem um pouco para entrar na trama. A solução manteve tanto a conexão com os livros, quanto do espectador com os personagens que já conhece. Confesso que, em alguns momentos, a segunda temporada ameaça perder o ritmo. Mas o desfecho nos pega totalmente de surpresa e nos recompensa com um final eletrizante!

Por fim, admito que a terceira temporada deixou a desejar. Os episódios retomam a história de Achados e Perdidos, trazendo-a para o presente, o que também achei uma boa sacada. No entanto, algumas subtramas foram totalmente esquecidas e existem muitos furos e conveniências no roteiro. O que segura os episódios são os diálogos perspicazes e as atuações – com destaque para Gabriel Ebert, como Morris Bellamy, e Kate Mulgrew, como Alma Lane. Outro ponto alto é a atmosfera ainda mais dark, e no melhor estilo Stephen King.

Apesar de todas as ressalvas, gostei muito da série e recomendo. Principalmente porque, mesmo com todas as mudanças e defeitos, a adaptação recria e ressalta a cumplicidade inesperada que Bill Hodges encontra quando mais precisa. E esse é o aspecto que faz com que Mr. Mercedes, livro e adaptação, tenha tanto do DNA de King!

Mr. Mercedes está disponível no canal Starzplay do Prime Video.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s