Resenha de Uma Canção de Natal – Charles Dickens

Se o Fantasma dos Natais Passados visitasse você, o que ele mostraria?

Ebenezer Scrooge é um homem amargo, que prefere a riqueza e a solidão ao amor e a amizade. Então, para ele, a magia do Natal não passa de besteira. No entanto, a crença de Scrooge é colocada à prova quando, no dia 24 de dezembro, ele recebe a visita de Jacob Marley, seu sócio falecido há 7 anos.

Marley alerta o amigo de que outros três espíritos irão visitá-lo naquela noite: o Fantasma dos Natais Passados, o Fantasma do Natal Presente e o Fantasma dos Natais Futuros. E é por meio do que eles lhe mostrarão que Scrooge terá a chance de se transformar e se redimir, evitando se tornar uma alma penada, assim como Marley.

Uma Canção de Natal (ou Um Conto de Natal) é aquele tipo de história que conhecemos mesmo antes de ler. Afinal, a obra de Charles Dickens foi adaptadas diversas vezes e também serviu de inspiração para outras inúmeras histórias sobre a época. Não à toa, o livro publicado em 1843 é considerado o precursor do espírito do Natal, o “criador” da data como um momento marcado por esperança e generosidade.

Confesso que me surpreendi com a atmosfera sombria e melancólica de Uma Canção de Natal. Eu até esperava tais ingredientes, mas não em tantas doses – e só posso dizer que amei. Scrooge é, obviamente, um personagem muito chato, mas, conforme a história se desenrola, contrariamos as probabilidades e nos afeiçoamos a ele.

O que achei incrível sobre a obra de Dickens é o quanto ela se conecta com a nossa realidade, apesar de toda a fantasia envolvida. Mais do que a história de Scrooge, o Fantasma dos Natais Passados também nos relembra a nossa própria trajetória. Nos mostra o quanto nossas mudanças são graduais, o quanto, muitas vezes, nos deixamos ser transformados naquilo que não gostaríamos de ser. E eu me perguntei: quantos de nós somos almas penadas antes mesmo de morrer?

Uma Canção de Natal é uma história sobre o que deixamos quando partimos. Muitas vezes, associamos legado a dinheiro e conquistas. Mas, na verdade, o que nos mantém vivos, agora e depois, são os momentos e as lembranças, as pessoas que amamos e que nos amaram também.

Título original: A Christmas Carol
Autora: 
Charles Dickens
Tradutor: Rodrigo Lacerda
Editora: Penguin Companhia
Publicação original: 1843

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s