Dash & Lily: livro ou série?

Em novembro, assisti à Dash & Lily na Netflix e fiquei completamente apaixonada! Foi quando lembrei que, em 2014, iniciei a leitura de Dash & Lily’s Book of Dares, o livro de David Levithan e Rachel Cohn que deu origem à série, mas nunca terminei. Corri para o meu Kindle e descobri que abandonei a leitura em 37% – o que não é do meu feitio, porque, quando abandono, o faço antes!

Intrigada e movida pelo amor pela adaptação, decidi dar outra chance ao livro. Desta vez, cheguei ao fim e posso dizer com propriedade: a série é mil vezes melhor! E para defender o meu argumento, destaco três pontos:

Dash e Lily como personagens
No livro, Dash é não apenas ranzinza, como também levemente pedante. Eu confesso: é difícil se apegar a ele. Mas o que mais me incomodou foi a personalidade de Lily: para além do simple “fofo”, é extremamente infantilizada. Na série, a personagem também é superprotegida pela família, mas a obra original levou tudo isso a um outro patamar. Não consegui me apegar a ela também.

Representatividade
A representatividade asiática foi um dos pontos que mais amei na série! Sou descendente de japoneses, assim como Lily, e acredito que a questão da ancestralidade tenha sido muito bem retratada – ainda que rapidamente. No livro, Lily é branca e loira, então, nada disso é abordado, obviamente.

Ritmo
Para mim, Dash & Lily é uma série sem defeitos. Mas se eu tivesse que inventar um, diria que a história é um pouquinho corrida, especialmente nos últimos episódios. Digo “inventar” porque acredito que o ritmo frenético funcione muito bem para a proposta da trama – só aumenta a nossa ansiedade pelo encontro dos dois! Mas, sim, eu aceitaria mais algumas horas da série sem problemas!! Já no livro, acontece o contrário e, pelo menos para mim, o tão aguardado encontro não cumpriu as expectativas.

Talvez, o meu “erro” tenha sido tentar encaixar o Dash e a Lily da série nos personagens originais. Mas, como eu já havia abandonado a leitura uma vez, acredito que realmente não seja ideal para mim. De qualquer maneira, O Caderninho de Desafios de Dash & Lily (título brasileiro) não é um livro ruim. É gostoso embarcar na aventura romântica proposta e viver a expectativa dos personagens. No entanto, a Netflix fez um trabalho incrível ao adaptar o livro, e isso eu não posso negar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s