Resenha de As Anônimas – Amy Reed

Lucy Moynihan foi obrigada a sair da cidade depois de ter acusado os meninos populares da escola de estupro. Meses mais tarde, a família de Grace Salter se muda para a antiga casa da garota, e logo conhece Rosina Suarez e Erin Delillo. A cidade toda finge ter esquecido a história de Lucy, mas, ao tomar conhecimento, Grace não consegue ignorá-la. É quando ela se une às novas amigas para criar As Anônimas. E então, uma verdadeira revolução, em nome de todas as garotas, se inicia!

Para chegar a uma conclusão sobre As Anônimas, é preciso pensar na obra de Amy Reed sob vários pontos de vista. E é o que farei para deixar a minha opinião o mais clara possível.

Em termos de representatividade, o livro não deixa a desejar! Nas páginas de As Anônimas, encontramos desde personagens lésbicas e minorias étnicas até uma portadora da Síndrome de Asperger e meninas fora dos padrões de beleza. É verdade que, em alguns momentos, a sensação é de que a autora quis representar de tudo um pouco e acabou não se aprofundando em nada. Mas a representatividade está ali e não pode ser ignorada!

Quando o assunto são temas atuais e pertinentesAs Anônimas também está de parabéns!Os focos da obra são o feminismo, o machismo e a cultura do estupro. Então, a objetificação das mulheres e a relativização do abuso/violência são tópicos inevitáveis. O livro também fala muito sobre como o silêncio não significa necessariamente um consentimento – e esse é o ponto alto da obra.

Porém… Se deixarmos a representatividade e a importância dos assuntos abordados um pouco de lado, eu considero As Anônimas um livro mediano. Os personagens no geral não são tridimensionais, divididos basicamente entre “mocinhos e vilões”. E ainda que eu concorde com a mensagem que Amy Reed transmite, admito que não sobra muito espaço para reflexão, para que o leitor encontre seu caminho em direção às próprias conclusões.

Sendo assim, indico As Anônimas como uma espécie de introdução a esses assuntos tão necessários – para meninas E meninos adolescentes. E não posso negar: a determinação de Grace, Rosina e Erin é uma dose de coragem e inspiração para nós, garotas e mulheres, enfrentarmos o mundo!

Título originalThe Nowhere Girls
Autor: Amy Reed
Editora: Única
Ano: 2017

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s