Resenha de O Cemitério – Stephen King

“Um homem planta o que pode… E cuida do que plantou”.

A pequena cidade de Ludlow, no Maine, é o novo lar de Louis Creed e sua família. Assim que chegam à casa, eles conhecem o simpático vizinho, Jud Crandall, que os leva a uma expedição pelos bosques que cercam a propriedade, incluindo o “Simitério” de Bichos. Logo, Louis já não tem mais dúvidas de que tomou a decisão certa ao proporcionar a seus filhos, Ellie e Gage, uma infância longe do caos de Chicago. No entanto, o conceito de “caos” do jovem médico está prestes a se transformar…

O Cemitério é um dos livros mais icônicos de Stephen King. Então, quando muitos disseram se tratar de uma das melhores obras dele, não duvidei. Ainda assim, não esperava que fosse TÃO boa! O próprio King a define como “o mais dark que poderia ser”, e eu concordo. No entanto, como em todas as histórias do autor, a escuridão está sempre envolvida por um contexto muito mais profundo. Por isso, quando o assunto é Stephen King, não canso de repetir: nunca é só terror pelo terror.

atmosfera dos livros do autor é sempre tão palpável, que se torna praticamente um personagem da história. E em O Cemitério, não poderia ser diferente: a sensação é a de estar sempre à beira do abismo da insanidade. O leitor sabe que coisas muito ruins irão acontecer, mas quer saber como. E King brinca com essa expectativa a todo momento. É esse ritmo em constante crescente que permite o pleno desenvolvimento dos personagens, principalmente de Louis. E a sutileza com que o médico se transforma ao longo da trama é o que nos faz acreditar no impossível.

A morte é um território bastante explorando nos livros do Rei do Terror. Mas arrisco dizer que, em nenhuma outra trama (das que li pelo menos), ele o faz com tanta maestria quanto em O Cemitério. Com a história da família Creed, King traz a dor da perda de uma maneira real, ao mesmo tempo em que evoca todo o misticismo que cerca a morte. Flerta tanto com o sagrado quanto com o profano, e cruza a linha (talvez já tênue) que existe entre os mundos dos vivos e dos mortos.

Acima de tudo, O Cemitério retrata e reforça a inevitabilidade da morte, nos mostrando como cada pessoa lida com ela: é possível se afogar no medo, se afastar ou se perder na dor. Mas nunca, jamais, ignorá-la.

Título original: Pet Sematary
Autor: Stephen King
Editora: Suma
Ano: 1983

Veja mais livros de Stephen King

Anúncios

Um pensamento sobre “Resenha de O Cemitério – Stephen King

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s