Conhecendo a autora Maria Dinorah

Hoje, vou dar início a um projeto muito legal, que me deixou muito empolgada!! Vou compartilhar tudo com vocês, e já convido todo mundo a me acompanhar nessa jornada!

É o seguinte: em março, o Instituto Maria Dinorah (IMADIN), dedicado à escritora gaúcha Maria Dinorah Luz do Prado, me convidou para fazer uma campanha. Quando eles me procuraram, me senti muito honrada e ainda mais feliz quando percebi que esse projeto teria pontos que são importantíssimos para mim:

Literatura nacional: sempre falo o quanto eu gostaria de ler mais autores brasileiros. Então, essa será uma ótima oportunidade de realmente mergulhar na obra de uma escritora nacional que foi tão importante!

Empoderamento feminino: Maria Dinorah foi uma mulher empoderada muito antes desse termo ser tão explorado!! Nesse post, vou contar um pouquinho da história dela, e vocês vão entender o que quero dizer!

Incentivo à leitura: além de divulgar e preservar a obra de Mariah Dinorah, o IMADIN também tem uma série de programas para incentivar a leitura, principalmente entre crianças e famílias!

Aqui, vou contar um pouquinho sobre a a autora para que vocês me acompanhem nessa jornada desde o começo!

A história de Maria Dinorah como autora começou cedo, quando, em 1946, ainda adolescente, publicou seu primeiro livro! Continuou escrevendo e sempre colaborou com diversos jornais, até que, em 1964, com o falecimento do marido, passou a trabalhar também como professora alfabetizadora. Nos anos 1970, Maria Dinorah se tornou bastante conhecida e, nas duas décadas seguintes, lançou muitos livros – ela tem mais de 100 obras publicadas, entre poesia adulta e infantil, livros infantis e infanto-juvenis, didáticos, coletâneas, etc.

A autora viajou por muitos lugares do Brasil visitando escolas e conversando com os alunos, em uma época em que nenhum autor fazia isso! Foi também a primeira mulher a ser patrona da Feira do Livro de Porto Alegre. “Ela chegava a lançar de quatro a sete livros em uma tacada só! E era aquela imensidão de crianças, esperando pelo autógrafo dela! Ela também contava histórias como ninguém, e a criançada parava para ouvir, todos fascinados!”, conta Keca Prado, uma das filhas da autora.

E esse foi só um resumo da trajetória de Maria Dinorah – mas já deu pra perceber como a história dela foi incrível, né? Em breve, vou ler o livro Que falta ela nos faz, que é uma compilação de poemas da autora escolhidos por seus quatro filhos. E aí volto aqui para contar para vocês o que achei!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s