#RetroLit 2018: minhas escolhas

Ah, como eu AMO retrospectiva! E hoje, vou responder a #RetroLit 2018, que criei junto com meu amigo Gabriel (@done.em). Não foi fácil escolher os livros para cada categoria, mas acho que deu tudo certo!

OS MELHORES E PIORES

O melhor livro: Os Imortalistas, Chloe Benjamin (com menção honrosa a Pequenos incêndios por toda parte, Celeste Ng)

O pior livro: Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente, TCD

A melhor capa: Uma dobra no tempo (HQ), Madeleine L’Engle e Hope Larson

A pior capa: Felicidade para humanos, P. Z. Reizin

O livro que rendeu a melhor adaptação cinematográfica: a adaptação de Para todos os garotos que já amei, Jenny Han

O livro que rendeu a pior adaptação cinematográfica: não assisti nenhuma adaptação ruim \o/

OS PERSONAGENS

O melhor personagem: Isabelle Rossignol, de O Rouxinol (com menção honrosa a Simon Gold, de Os Imortalistas)

O pior personagem: Flannery Culp, de O Clube dos Oito (com menção honrosa a Gabby Holland, de The Choice)

O personagem coadjuvante que roubou a cena: Luc Dutil, de Duas Vidas

O personagem coadjuvante que eu dispenso: Trent Worth, de Interferências

AS SURPESAS E DECEPCÇÕES

O autor que mais me surpreendeu: Luca D’Andrea, com A Essência do Mal (com menção honrosa a Hank Green, com Uma coisa absolutamente fantástica)

O autor que mais me decepcionou: Daniel Handler, com O Clube dos Oito (com menção honrosa a Lisa Gardner, com Bem atrás de você)

O livro que mais me surpreendeu: O Exorcista, de William Peter Blatty. Não esperava amar tanto!!

O livro que mais me decepcionou: O Clube dos Oito, de Daniel Handler

OS MAIS

A quote que mais me marcou: esse ano, até tentei voltar a marcar quotes, mas não deu mesmo…

A história que mais me inspirou: desculpa ser repetitiva, mas foi Os Imortalistas, de Chloe Benjamin

O livro que mais me fez chorar: O Rouxinol (com menção honrosa a O melhor que podíamos fazer, de Thi Bui)

A trama que mais me deu medo: A Essência do Mal, de Luca D’Andrea

O livro que me mais deixou mais curioso: Os Imortalistas ¯\_(ツ)_/¯

A obra que mais me fez gargalhar: A Louca dos Gatos, de Sarah Andersen

A história da qual eu sinto mais saudades: Ainda sou eu, de Jojo Moyes. Por mais que não precisasse de três livros, a gente se apega, né?

O crime mais louco: Misery, de Stephen King

E POR FIM
Em 2018, minha meta era ler 60 livros e terminei o ano com 80 leituras.
Para 2019, minha meta é ler 60 livros.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s