Resenha de O melhor que podíamos fazer – Thi Bui

Em 1926, minha avó materna veio de Hiroshima, no Japão, para o Brasil. Passou dois meses dentro de um navio e, apesar de ter apenas 6 anos, lembra de ter visto pessoas morrerem durante a viagem e serem jogadas no mar dentro de pequenos caixões. Em território brasileiro, não teve vida fácil: ainda criança, cozinhava e cuidava dos irmãos menores para que seus pais pudessem trabalhar na fazenda. Teve seis filhos e trabalhou a vida toda, ao lado do meu avô. Assim, possibilitou que minha mãe e meus tios estudassem, como ela mesma sempre sonhou. E mais de 50 anos depois, foi, de certa forma, a história dos meus avós que transformou oportunidades que eles nunca tiveram em realidade para mim, minhas irmãs e meus primos.

E foi sobre tudo isso que me peguei pensando após a leitura de O melhor que podíamos fazer.

Na graphic novel autobiográfica, Thi Bui faz uma verdadeira incursão pelo passado de sua família: desde a infância dos pais até o momento em que eles deixam o Vietnã, após a Queda de Saigon, na década de 1970. A partir de então, a autora narra as dificuldades pelas quais ela, seus pais e irmãos passaram para chegar aos Estados Unidos, que simbolizavam não só o recomeço, como também um futuro melhor.

No entanto, se engana quem pensa que O melhor que podíamos fazer é uma GN sobre política, guerra e/ou imigração. A obra de Thi Bui é sobre o verdadeiro significado de “família” e aquilo que só fazemos por quem realmente amamos. Durante a leitura, acompanhamos a evolução dos sentimentos da autora, a quem conhecemos prestes a dar à luz. E com a chegada da maternidade, Thi Bui é capaz de colocar sua história em perspectiva e transformar mágoa e ressentimento em compreensão e redenção.

Sempre pensamos sobre o que nossos pais esperam de nós. Mas frequentemente esquecemos que nós também temos expectativas em relação a eles. Esperamos que eles sejam super-heróis, à prova de qualquer erro. E, muitas vezes, eles realmente são. Mas, no fundo, são tão humanos quanto nós, dando o melhor de si e lutando, todos os dias, para não falhar.

Título original: The best we could do
Editora: Nemo
Autor: Thi Bui
Ano: 2017
Páginas: 336
Avaliação: 5 estrelas

*O melhor que podíamos fazer faz parte do projeto #Lendo1GraphicNovelPorMês

Anúncios

2 pensamentos sobre “Resenha de O melhor que podíamos fazer – Thi Bui

  1. Nossa, Nadia, chega arrepiei aqui com essa resenha! O último livro que você me indicou (lembra “Precisamos falar sobre Kevin”) foi transformador, só posso ter certeza que vou amar esse aí! Obrigada por dividir com a gente e um beijão

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s