Resenha de Entre quatro paredes – B. A. Paris

Grace e Jack foram feitos um para o outro! Ela abriu mão de um ótimo emprego para se tornar a esposa perfeita. Já ele é um advogado especializado em casos de violência contra a mulher, que nunca perdeu um caso sequer. Os dois parecem viver o casamento dos sonhos, mas a realidade entre quatro paredes pode ser bem diferente! Afinal, como explicar o fato de Grace nunca ser vista sem Jack? E por que ela não atende à campainha e ao telefone de sua própria casa?

>> Encontre o melhor preço de Entre quatro paredes

Não é segredo que eu AMO histórias de suspense e thrillers. E como vi muita gente falando (bem e mal) sobre Entre quatro paredes, fiquei curiosíssima para lê-lo! A obra de B. A. Paris começa bem, pois é daquelas tramas que intrigam desde a primeira a página – ou até da sinopse! Além disso, a escrita da autora é extremamente fluida e a história segue um ritmo perfeito, o que torna praticamente impossível não devorar o livro.

O relacionamento de Grace e Jack evolui rápido demais e de uma maneira, digamos, estranha. E assim, B. A. Paris começa a construir a atmosfera sinistra da história. Grace, que era uma mulher independente e autossuficiente, aceita abandonar o emprego com muita facilidade, o que me incomodou um pouco. No entanto, o fato de ela estar perto dos 40 anos pode justificar a rapidez com que tudo acontece. Além disso, Jack não pensa duas vezes antes de aceitar cuidar de Millie, a irmã de 18 anos de Grace, que é portadora da Síndrome de Down. E essa generosidade, que nunca encontrou em um homem antes, faz com que ela fique completamente encantada pelo então futuro marido.

Um dos pontos altos da trama acontece quando Grace percebe quem Jack realmente é. E é aí que começa o terror psicológico e os diversos absurdos que a história retrata. Jack nunca machuca Grace fisicamente, o que, ironicamente, o torna ainda mais sádico e cruel. Como a maioria dos psicopatas, o personagem é extremamente inteligente e parece estar sempre um passo à frente de Grace. Sem saída, ela passa a, de certa forma, aceitar a situação, se tornando ainda mais vulnerável. E confesso que é difícil e doloroso imaginar que mulheres da vida real realmente passem por isso.

Porém, o que realmente me incomodou em Entre quatro paredes foi o desfecho simplório. Como disse acima, Jack é inteligente e, por isso, Grace passa mais de um ano tentando (e não conseguindo) encontrar uma brecha na prisão em que vive. E, de repente, tudo se desenrola de maneira duvidosa e conveniente! Apesar disso, a leitura vale a pena e B. A. Paris guardou uma pequena surpresa para o final, que faz com que a história ganhe um novo significado.

Título original: Behind closed doors
Editora: Record
Autor: B. A. Paris
Ano: 2016
Páginas: 228
Tempo de leitura: 1 dia
Avaliação: 3 estrelas

Anúncios

4 pensamentos sobre “Resenha de Entre quatro paredes – B. A. Paris

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s