Semana especial Tartarugas até lá embaixo: sobre os personagens

Depois de listar 8 motivos para ler Tartarugas até lá embaixo, chegou a hora de falar sobre os personagens do novo livro do John Green. Como de costume, o autor foi capaz de criar figuras tridimensionais, que erram, acertam e enfrentam os problemas de maneira extremamente real. Esse é um dos pontos que torna sempre tão fácil se identificar com as histórias de John Green – e Tartarugas até lá embaixo não nos deixa mentir!

No novo livro do autor, acompanhamos a história de Aza Holmes, que sofre de TOC e de transtorno de pânico e ansiedade. Assim como em A culpa é das estrelas, John Green tem um prato cheio para dar vida a uma personagem pedante e dramática. Mas, mais uma vez, ele foge dos estereótipos e mostra que é possível, sim, (embora difícil) conviver com problemas capazes de afetar vida em larga escala. Aza é vulnerável, mas encontra força na resiliência, o que a transforma em uma anti-heroína real e verdadeiramente inspiradora. Outro ponto-chave da protagonista é a sinceridade, que aparece tanto na construção da personagem quanto em sua personalidade. E assim, Aza inspira o leitor a ser mais compreensivo, solidário e, principalmente, empático.

mãe de Aza peca pela superproteção, mas estranho seria se fosse o contrário. Afinal, após perder o marido, ela se tornou inteiramente responsável pela filha, que desenvolveu distúrbios que demandam atenção. No entanto, apesar de não ser capaz de compreender completamente os problemas de Aza, a mãe não deixa dúvidas de que o mais importante é o bem-estar da filha. Sendo assim, foi impossível não me solidarizar com ela!

Daisy é a melhor amiga de Aza e, com certeza, a personagem que mais me irritou. Sim, ela tem razão em alguns pontos e, definitivamente, é fundamental para a melhora da protagonista. Mas, para mim, ela comete o erro mais grave que alguém nessa situação poderia cometer: menospreza e minimiza os problemas de Aza.

Por fim, temos Davis Pickett, cujo pai desaparecido é o ponto de partida do livro. No começo da história, ele parece apenas um garoto rico e mimado que a) vai partir o coração de Aza ou b) vai conquistar o coração de Aza. Mas, no final das contas, não é bem assim. Tão tridimensional quanto a protagonista, Davis se destaca na trama, tornando-a mais rica, complexa e profunda. A vida e as questões dele são diferentes das de Aza, no entanto, isso não quer dizer que eles não possam compartilhar os mesmos valores.

Bom, acho que ficou bem claro que meus personagens preferidosTartarugas até lá embaixo são Aza e Davis, né?

Mais posts da Semana especial aqui!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s