Resenha de Harry Potter e as Relíquias da Morte (Harry Potter #7) – J. K. Rowling


Lorde Voldemort está triunfando e Harry Potter precisa cumprir uma difícil missão – se não impossível! – se quiser ter uma chance de derrotar seu arqui-inimigo. Para isso, ele decide abandonar Hogwarts e irá contar, mais do que nunca, com o apoio de Rony e Hermione.

Eu até comecei a ler outro livro depois de terminar Harry Potter e o Enigma do Príncipe. Mas a verdade é que não consegui me desconectar da história de J. K. Rowling e precisei engatar Relíquias da Morte. Algumas pessoas me disseram que o último livro da saga é só “tiro, porrada e bomba”. E, realmente, acho que não tem uma definição melhor. Não há tempo para respirar, muito menos para digerir as descobertas e revelações. Ah, e também é impossível parar de ler – eu terminei a leitura às 4h da manhã de um domingo.

Quando uma trama é cheia de detalhes, ainda mais em se tratando de sete livros, é fácil, fácil deixar pontas soltas. Mas, definitivamente, não é o que acontece com a saga HP. É verdade que, em alguns momentos, a solução parece conveniente demais. No entanto, a explicação é sempre plausível e tudo, absolutamente tudo, faz sentido. E isso só é possível porque J. K. Rowling soube costurar com perfeição cada retalho de informação, ligando os pontos desde o primeiro livro!

Eu já sabia de alguns spoilers antes de começar a ler a série, então, alguns aspectos da história não foram exatamente surpresa. Outros, eu acabei (modéstia à parte) “adivinhando”, sempre seguindo as pistas deixadas pela autora, claro. Mas, mesmo assim, a forma como ele conduz a história é sempre surpreendente! Falei isso em todas as resenhas de HP, mas preciso repetir: J. K. Rowling SABE como manipular e envolver o leitor!

Um dos grandes trunfos da saga é a tridimensionalidade dos personagens. Ao longo dos sete livros, conhecemos novos aspectos da personalidade de Harry, Rony e Hermione, principalmente. No entanto, em Relíquias da Morte, os holofotes se voltam a Dumbledore. Achei genial a forma como J. K. Rowling explorou o passado do diretor de Hogwarts, mostrando que nem os heróis estão livres de erros. E ver como Harry reage a tudo isso deixa a história mais real e quase impossível de não se identificar.

Vou ser honesta: nunca tive muita vontade de ler Harry Potter e só decidi fazê-lo porque eu realmente precisava ter uma opinião formada sobre a série. Como não sou muito de fantasia, não achei que eu iria me transformar em Potterhead. Bom, me enganei e, não nego, me apeguei! A leitura da saga começou sob controle, mas, a cada livro, a história me conquistava mais e mais. É claro que os feitiços e toda a mitologia envolvida são responsáveis por boa parte da genialidade da trama. Mas a grande sacada de J. K. Rowling foi criar não apenas uma trama, como todo um universo. E dar vida a uma história  tão atemporal quanto seus pilares: o amor, a lealdade e a coragem. 

Título original: Harry Potter and the Deathly Hallows
Volumes anteriores: Harry Potter e a Pedra Filosofal, Harry Potter e a Câmara Secreta, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, Harry Potter e o Cálice de FogoHarry Potter e a Ordem da Fênix Harry Potter e o Enigma do Príncipe
Editora: Rocco
Autora: J. K. Rowling
Publicação original: 2007

14 comments

  1. Oi Nádia, tudo bem?

    Nossa, eu li os livros do Harry quando tinha uns 14 anos, menos que isso até, nem me lembro ao certo rsrs… mas é um mundo que me encanta até hoje. Estou querendo fazer uma maratona Harry também, só preciso finalizar outros planos ainda. Quem sabe chego lá! J.K. Rowling é genial e é muito dificil não se apegar e amar seu jeito de contar história, ainda mais com um mundo todo mágico e cheio de aventura como o desse bruxinho. ;)

    Ah, indiquei você para o prêmio Mystery Blogger Award. Confere tudo lá no link: https://ateaultimapagina.wordpress.com/2017/10/04/especial-the-mystery-blogger-award/

    Beijinhos
    Fe ;/

  2. […] Harry Potter e o Enigma do Príncipe, J. K. Rowling Se Ordem da Fênix foca nas questões políticas da história, Harry Potter e o Enigma do Príncipe começa a realmente explicar a trama. No sexto volume da série, J. K. Rowling nos bombardeia com tantas descobertas, revelações e acontecimentos, que é impossível não querer devorar o livro. O que mais gosto em Enigma de Príncipe é a forma como a autora nos mostra a lealdade e a cumplicidade que existem entre Harry e Dumblebore – sem clichês ou frase prontas, mas com toda sensibilidade e verdade! E o desfecho do volume não poderia ser uma deixa melhor para o último da saga, Harry Potter e as Relíquias da Morte. […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s