Resenha de Achados e Perdidos (Bill Hodges #2) – Stephen King

img_8149

Morris Bellamy é o fã número 1 de John Rothstein, um autor consagrado que há muitos anos vive recluso. Indignado com o fim que Rothstein deu ao personagem Jimmy Gold, Morris invade a casa do escritor e, após roubar seus manuscritos inéditos, o mata. Pouco antes de ser preso por outro crime, o assassino enterra os cadernos em um lugar secreto, onde, mais de 30 anos depois, Peter Saubers os encontra. Quando Morris é solto da prisão, seu primeiro e único objetivo é recuperar o “tesouro”. É quando toda a família Saubers entra em perigo e, mais uma vez, Bill Hodges, Holly e Jerome terão que entrar em ação.

>> Encontre o melhor preço de Achados e Perdidos

Achados e Perdidos segue a mesma fórmula de Mr. Mercedes, mas com algumas mudanças pontuais.Enquanto o primeiro livro é narrado por Brady Hartsfield e Bill Hodges na mesma época, o segundo tem os pontos de vista de Morris Bellamy  no passado e Peter Saubers no presente. Em um segundo momento, Bill Hodges e o próprio assassino se juntam a Peter na narrativa da história. O recurso sempre torna as histórias mais dinâmicas e, no caso de Achados e Perdidos, deixa o leitor ainda mais curioso para que todos os protagonistas se encontrem.

Quando se trata de Stephen King, acho que não é necessário dizer que os comportamentos psicóticos e doentios são ingrediente padrão. E o segundo volume da trilogia Bill Hodges não é exceção. Se no primeiro livro nos deparamos com a bizarra relação entre Brady Hartsfield e a mãe, em Achados e Perdidos, a obsessão de Morris por John Rothstein é igualmente assustadora. E é por meio da metalinguagem que King retrata o quanto os livros podem mudar vidas, para o bem e para o mal.

Assim como Mr. MercedesAchados e Perdidos demora um pouco para engrenar, mas nada que comprometa a leitura. No entanto, ao longo da história, a trama vai ganhando força, culminando em um final eletrizante. Apesar de ter gostado do enredo desenvolvido a partir do trio Morris, Peter e Bill, o que mais me agradou no segundo livro da série foi o toque sobrenatural que as breves, porém determinantes, aparições de Brady Hartsfield carregam. Quando se soma o final intrigante de Achados e Perdidos à sinopse de Último Turno, já é possível sentir arrepios.

Título original: Finders Keepers
Editora: Suma de Letras
Volume anterior: Mr. Mercedes
Volume seguinte: Último Turno
Autor: Stephen King
Ano: 2015
Páginas: 352
Tempo de leitura: 6 dias
Avaliação: 4 estrelas

Veja mais livros de Stephen King

selo-cia-das-letras

Anúncios

6 thoughts on “Resenha de Achados e Perdidos (Bill Hodges #2) – Stephen King

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s