Resenha de Baía da Esperança – Jojo Moyes

img_7321

Dona de um passado obscuro, Liza McCullen escolheu Silver Bay, na Austrália, onde mora a tia-avó Kathleen, para reconstruir a vida ao lado da filha, Hannah. Na pequena comunidade, Liza é responsável por um barco de observação de baleias e golfinhos e dirige o decadente hotel Baía da Esperança com a tia-avó. Mike Dormer trabalha na área de empreendimentos de luxo e se hospeda no Baía da Esperança a fim de avaliar Silver Bay para a construção de um glamouroso resort. A aprovação do projeto está nas mãos de Mike e ele sabe que a implantação do negócio irá trazer consequências drásticas para o local e as pessoas que aprendeu a amar.

>> Encontre o melhor preço de Baía da Esperança

A Última Carta de Amor Como eu era antes de você estão entre meus livros preferidos da vida. E, logo depois que os li, em 2013, descobri que Jojo Moyes tinha obras anteriores já publicadas em português, mas por outra editora. Até cogitei comprá-los, mas confesso que rolou um preconceito infundado – os títulos não me apeteceram, tampouco as capas. Quando a Intrínseca anunciou que havia comprado os direitos sobre tais livros da autora, decidi lê-los. Comecei por Baía da Esperança e, pelo menos por enquanto, não pretendo me aventurar com os outros.

Não me entendam mal, Baía da Esperança não é um livro ruim – tanto é que dei 3 estrelas. No entanto, também não chega a ser uma história realmente boa. É como se fosse um rascunho das tramas incríveis que Jojo criou em A Última Carta de Amor Como eu era antes de você. Claro que alguns elementos do estilo da autora estão presentes no livro, como a capacidade de unir passado e presente, os dilemas e o poder de intrigar o leitor. Mas, no geral, Baía da Esperança não chega aos pés das minhas histórias preferidas de Jojo.

“Experiente” em comédias românticas e livros de chick lit, não foi difícil para mim sacar a trama logo no início do livro. Esperava uma história previsível e foi exatamente o que encontrei. É verdade que a autora criou alguns plot twists, mas nada tão surpreendente assim. Senti falta do ótimo ritmo que ela costuma empregar em suas obras e também dos personagens cativantes – nenhum realmente me conquistou em Baía da Esperança.

A  história é narrada sob vários pontos de vista – desde a adolescente Hannah até a senhora Kathleen -, recurso que Jojo adora usar e que sempre funciona! E, por mais que a trama seja até certo ponto clichê, é fato que a autora sabe como emocionar o leitor, ainda que com um pezinho no pedante! O que mais me incomodou em Baía da Esperança, porém, foi a forma com que a história, de tantos dilemas e pontas soltas, se resolveu: tudo fácil e conveniente demais.

Título original: Silver Bay
Editora: Intrínseca
Autor: Jojo Moyes
Ano: 2007
Páginas: 393
Tempo de leitura: 6 dias
Avaliação: 3 estrelas

Veja mais livros de Jojo Moyes

selo2016

Anúncios

10 pensamentos sobre “Resenha de Baía da Esperança – Jojo Moyes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s