Resenha de A Invenção de Hugo Cabret – Brian Selznick

img_1285

O ano é 1931 e Hugo Cabret vive em Paris com o atencioso e amoroso pai. No entanto, tudo muda completamente quando o pai de Hugo morre em um incêndio e ele é obrigado a viver com o tio negligente em uma estação de trens da capital francesa, onde é responsável pela manutenção dos relógios. Quando o tio desaparece, Hugo precisa se virar sozinho e, apesar de manter os relógios em pleno funcionamento, é obrigado a roubar para sobreviver.

A única coisa que sobrou da antiga vida de Hugo é um homem mecânico, que ele acredita conter uma mensagem de seu falecido pai e considera seu maior segredo – e, para descobrir, precisa fazê-lo funcionar. No entanto, quando o amargo Georges Méliès, dono de uma loja de brinquedos da estação, e sua filha adotiva entram na vida de Hugo, os segredos de todos entram em perigo.

Eu assisti primeiro à adaptação cinematográfica de A Invenção de Hugo Cabret, dirigida por ninguém menos do que Martin Scorsese, e seria mentira se eu dissesse que sempre tive interesse em ler a obra original de Brian Selznick. No entanto, quando folheei um exemplar na livraria, fiquei encantada pelas ilustrações e não resisti. E fico feliz por isso, já que o livro me surpreendeu bastante, embora a história seja bem similar à do filme.

img_1617

Apesar de ter 544 páginas, A Invenção de Hugo Cabret é um livro super rápido de ser lido, já que conta com muitas ilustrações e o texto nem sempre ocupa páginas inteiras. Os desenhos, aliás, são incríveis e parecem ter sido feitos à mão em cada exemplar. Uma coisa que achei curiosa sobre as ilustrações é que, muitas vezes, elas “simulam” o movimento das câmeras de cinema – que é o grande centro da trama de Selznick -, “aproximando” algumas cenas e dando destaque a certos detalhes.

Como toda boa história contada sob o ponto de vista de uma criança, A Invenção de Hugo Cabret tem aquele ar de “sabedoria ingênua”, que inspira, encanta e faz o leitor olhar para o mundo com um pouco mais de suavidade. A obra de Selznick é uma declaração de amor ao cinema e combina ficção com realidade, já que Georges Mèliés e seus filmes realmente existiram. No entanto, mais do que qualquer coisa, a história de Hugo Cabret enfatiza a magia que existe em acreditar e mostra como o cinema desempenha um papel fundamental quando o assunto é aquilo que parece impossível. Afinal, existe algo mais mágico do que a esperança e os sonhos?

Título original: The Invention of Hugo Cabret
Editora: Edições SM
Autor: Brian Selznick
Publicação original: 2007

12 comments

  1. […] A Invenção de Hugo Cabret (2009), escrito por Brian Selznick e dirigido por Martin Scorsese Sempre fui apaixonada pela história de A Invenção de Hugo Cabret e a admiração só aumentou quando li a obra original. E ao que tudo indica, eu não fui a única pessoa que se encantou pela trama de Brian Selznick, porque o filme concorreu a nada menos do que 11 Oscar, incluindo Melhor Filme e Melhor Diretor. No entanto, levou “apenas” as estatuetas nas categorias técnicas – Melhores Efeitos Visuais, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Mixagem de Som e Melhor Edição de Som. […]

  2. […] A Invenção de Hugo Cabret, Brian Selznick | Encontre o melhor preço Casa das Estrelas: o universo contado pelas crianças, Javier Naranjo | Encontre o melhor preço Hyperbole and a Half: Situações lamentáveis, caos e outras coisas que me aconteceram, Allie Brosh | Encontre o melhor preço Maus: a história de um sobrevivente, Art Spiegelman | Encontre o melhor preço Mentirosos, E. Lockhart | Encontre o melhor preço Sejamos todos feministas, Chimamanda Ngozi Adichie | Encontre o melhor preço […]

  3. […] A Invenção de Hugo Cabret (2009), escrito por Brian Selznick e dirigido por Martin Scorsese Sempre fui apaixonada pela história de A Invenção de Hugo Cabret e a admiração só aumentou quando li a obra original. E ao que tudo indica, eu não fui a única pessoa que se encantou pela trama de Brian Selznick, porque o filme concorreu a nada menos do que 11 Oscar, incluindo Melhor Filme e Melhor Diretor. No entanto, levou “apenas” as estatuetas nas categorias técnicas – Melhores Efeitos Visuais, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Mixagem de Som e Melhor Edição de Som. […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s