Resenha de Miniaturista – Jessie Burton

IMG_9740

Em 1686, a jovem Nella Oortman se casa com Johannes Brandt, um bem-sucedido mercador de Amsterdã, e se muda do interior da Holanda para a cidade grande. Nella acredita que o casamento com um homem rico e poderoso irá lhe proporcionar uma vida repleta de glamour e felicidade, no entanto, não é o que ela encontra quando chega à nova casa: por causa das viagens a trabalho, Johannes não é dos maridos mais atenciosos e Marin, sua irmã, se encarrega de controlar cada aspecto do lar e da família Brandt, revelando-se extremamente opressiva e dominadora. Para agradar a nova esposa, Johannes a presenteia com uma miniatura da casa em que moram e, logo, Nella encontra um miniaturista para confeccionar algumas peças. No entanto, tudo começa a mudar quando o miniaturista passa a enviar obras que nunca foram pedidas, mas que não apenas refletem a realidade, como parecem anunciar futuras tragédias.

>> Encontre o melhor preço de Miniaturista

Confesso: a sinopse de Miniaturista me deixou curiosa, sim, mas o livro de Jessie Burton me conquistou primeiro pela capa. Quando vi que a história se passava em 1686, fiquei com receio – vocês sabem que não me dou muito bem com tramas que se passam antes do século XX -, mas resolvi arriscar e acho que não poderia ter ficado mais satisfeita com minha escolha. Se eu pudesse usar apenas uma palavra para definir Miniaturista, seria intrigante. A história é narrada em terceira pessoa sob o ponto de vista de Nella e absolutamente todos os personagens são extremamente dúbios e misteriosos não apenas para a protagonista, mas também para o leitor. A isso, a autora adiciona uma trama repleta de suspense, uma atmosfera sinistra e, muitas vezes, até sobrenatural e o resultado é uma história super envolvente e promissora.

Quando conhecemos realmente uma pessoa, Nella, quando enxergamos além dos gestos amáveis, dos sorrisos, quando vemos a raiva e o medo patético que cada um de nós esconde, então o perdão é tudo.

Miniaturista cumpre o que promete e acredito que seja seguro dizer que supera qualquer expectativa. O início da leitura é relativamente lento, já que é necessário contextualizar não apenas o mundo de Nella, mas também o universo da Amsterdã de 1686. No entanto, quando menos se espera, vem a primeira reviravolta e este padrão se repete durante todo o livro. Modéstia à parte, eu me considero uma leitora perspicaz, que muitas vezes consegue sacar alguns pontos da história com as dicas que os autores costumam dar durante a trama. Mas preciso admitir que Jessie Burton me manipulou direitinho e quase todos os plot twists me deixaram boquiaberta.

A madame diz que o amor é melhor como fantasma do que quando se torna realidade; melhor ao ser perseguido do que quando conquistado.

Com uma premissa de certa forma semelhante a O Retrato de Dorian Gray, clássico de Oscar Wilde, Miniaturista aborda ainda temas delicados e polêmicos – e que, com certeza, eram ainda mais radicais naquela época -, como a religião e outros que não posso revelar para não dar spoiler. A discussão sobre o papel, o comportamento e os direitos da mulher na sociedade, assuntos tão em voga atualmente, também faz parte da obra de Jessie Burton e nos mostra o quanto já conquistamos, ainda que o mundo moderno não ser o ideal. Confesso que senti falta de mais explicações no final, mas entendo que, em algumas poucas histórias, o que mais importa não são os meios e, sim, os fins.

Título original: The Miniaturist
Editora: Intrínseca
Autor: Jessie Burton
Ano: 2015
Páginas: 351
Tempo de leitura: 5 dias
Avaliação: 5 estrelas

selo-2015

10 comments

  1. Eu tbm fui atraída por esse livro pela capa, achei bem legal! Mas não tive vontade de lê-lo e apesar da sua resenha ser positiva, ainda não tenho um desejo real de fzr essa leitura.
    No momento, não entrará na minha wishlist… Quem sabe no futuro?!

    Beijos!

    • Eu confesso que, se não fosse a parceria com a Intrínseca, eu acho que não compraria, apesar da capa linda. Mas ainda bem que resolvi arriscar porque realmente adorei a leitura e recomendo! Acho que você deveria ler um dia porque o fato de se passar em 1686 só deixa a história mais interessante e intrigante!
      Beijos

  2. […] Miniaturista, Jessie Burton Eu confesso: solicitei Miniaturista para a Intrínseca pela capa, apesar do medo de não gostar da história – já que ela se passa no século 17 e eu não sou particularmente fã das antiguidades. Mas, para a minha surpresa e felicidade, não apenas curti a trama de Jessie Burton como me apaixonei pela forma intrigante, ousada e original com que ela me envolveu <3 […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s