Resenha de Navegue a lágrima – Letícia Wierzchowski

IMG_5091

Consumida pelo luto, a editora de livros Heloísa decide se mudar para uma casa de praia, em um balneário isolado do Uruguai, que pertenceu à escritora Laura Berman. Em sua nova residência, Heloísa se vê cercada pelas memórias dos Berman e, misteriosamente, passa a ser visitada pelo passado da família. A história de Laura, Leon e os filhos, assim como o desgaste da vida a dois, as pequenas traições e as inevitáveis perdas, distraem Heloísa de suas próprias feridas, ao mesmo tempo em que a ajudam a, enfim, curá-las.

>> Encontre o melhor preço de Navegue a lágrima

Eu tenho um carinho enorme pelo Uruguai e adoro Montevidéu, por isso, quando vi que Navegue a lágrima se passava por lá, me interessei. A verdade, porém, é que o país não passa de mero pano de fundo para a história e poderia ser substituído por qualquer outro. Mas, se por um lado me “decepcionei” com esse aspecto do livro, por outro, fui surpreendida por uma trama super leve e fluida, apesar da densa carga emocional.

… e a felicidade, enquanto lembrada, nunca, absolutamente nunca, morre.

E o tempo, meus caros, o tempo é totalmente erosivo. Não há o que ele não exponha; o tempo cava com suas unhas afiadas, lustra e faz brotar as fraquezas todas, uma a uma.

Em Navegue a lágrima, Heloísa mescla seu passado e presente com a trajetória dos Berman, mais especificamente de Laura, e durante o livro as duas histórias realmente se misturam e, apesar dos diferentes rumos, se completam em alguns pontos. A narrativa de Letícia Wierzchowski é delicada e sofisticada como poucas e, apesar de beirar o poético em alguns trechos, é super pessoal e intimista, dando a sensação de uma conversa despretensiosa com a protagonista.

Desistir é como parar um livro pelo meio.

É inegável que Navegue a lágrima é uma história triste, mas de uma forma tocante e não piegas. E acredito que seja exatamente essa dose de tristeza que torna a trama tão real e, de certa forma, democrática. As trajetórias de Heloísa e Laura se conectam por amores interrompidos, perdas e, acima de tudo, amor. E é também por meio desses ingredientes universais que Letícia Wierzchowski se comunica com seus leitores.

Título original: Navegue a lágrima
Editora: Intrínseca
Autor: Letícia Wierzchowski
Ano: 2015
Páginas: 208
Tempo de leitura: 4 dias
Avaliação: 4 estrelas

selo

Anúncios

2 pensamentos sobre “Resenha de Navegue a lágrima – Letícia Wierzchowski

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s