As Piores Adaptações de Livros

Outro dia, listei aqui as minhas adaptações de livros favoritas e, hoje, reuni as piores. Antes, porém, quero deixar claro que uma adaptação ruim não é necessariamente um filme ruim e também não quer dizer que eu não gosto do longa. Só significa que, mesmo entendendo que existem várias questões das quais nem sabemos por trás,  eu acredito que estas adaptações poderiam ter alcançado um resultado melhor.

insurgente1

Insurgente
Apesar de eu amar a adaptação cinematográfica de Divergente, de Veronica Roth, admito que o filme não é tão fiel à obra original quanto eu gostaria – mas as mudanças, se nem sempre compreensíveis, são aceitáveis. No entanto, a história muda de figura quando o assunto é o filme de Insurgente – e eu confesso que só assisti uma vez, de tão consternada que fiquei com o resultado final. Enquanto longa, Insurgente está longe de ser ruim, mas como adaptação… sério, é melhor ler o Livro x Filme.

Lugares Escuros
Além de ter amado Lugares Escuros, de Gillian Flynn, fui iludida pela perfeição da adaptação de Garota Exemplar, da mesma autora, e cometi o erro de elevar minhas expectativas sobre o filme. E super me decepcionei. Lugares Escuros é um livro complexo, que conta com passado, presente, mistérios e reviravoltas, por isso, levá-lo à telona com certeza não seria tarefa fácil de qualquer forma. No entanto, a sensação que ficou para mim é que, apesar do elenco de ponta, rolou uma preguiça de roteirizar o livro da melhor forma, o que resultou em uma história resumida e com algumas pontas soltas.

mia-michael

O Diário da Princesa
O Diário de Princesa é um – se não o – dos meus filmes preferidos da adolescência, daqueles que praticamente furei o DVD de tanto assistir e cujos diálogos sei de cor! No entanto, quando li a obra original de Meg Cabot, fiquei chocada com a quantidade de mudanças aparentemente injustificadas que a história sofreu para chegar às telonas. Apesar disso, continuei apaixonada pelo filme, mas quando soube que a sequência não tinha absolutamente NADA a ver com os livros (não tem nem o Michael Moscovitz, como pode?), simplesmente boicotei e até hoje não assisti.

O Lado Bom da Vida
A adaptação cinematográfica de O Lado Bom da Vida, de Matthew Quick, foi provavelmente a que mais me revoltou na VIDA TODA. Eu amei o livro e fui toda animada assistir ao filme, mas me deparei com Pat Solitano (em vez de Pat Peoples), outras mudanças que nem me lembro mais (porque eu só assisti uma vez) e o principal, na minha opinião: a perda da essência, da pureza e da moral da história.

beckybloom

Os Delírios de Consumo de Becky Bloom
O caso de Os Delírios de Consumo de Becky Bloom é idêntico ao de O Diário da Princesa: adoro os livros, gosto do filme, mas não consigo engolir algumas mudanças – como o fato de Becky ser americana e não britânica, por exemplo. De qualquer forma, sempre achei a Isla Fisher a escolha perfeita para viver a protagonista e, apesar das muitas mudanças, acredito que o filme mantenha a essência do livro de Sophie Kinsella.

E para vocês, quais as piores adaptações de livros?

 

Anúncios

17 pensamentos sobre “As Piores Adaptações de Livros

  1. Nossa eu odeio o Diário da princesa 2!, e odeio mais ainda Becky Bloom, não dá nem para levar como adaptação, sério!!!
    O lado bom da vida eu passei o filme inteiro no cinema demostrando minha indignação, assim como Divergente. Insurgente não quero nem comentar de tanta tristeza e ruindade… hauahuahaua
    Bridget Jones no limite da razão está no meu limite – hahahaha- de aceitação, até porque tem partes engraçadas que não tiram a essência, mas se fosse pra levar bem ao pé da letra, seria uma adaptação ao nível Becky Bloom.
    =D

    1. Nem assisti, nem assistirei. Não tem o Michael, não é O Diário da Princesa u.u
      O Lado Bom da Vida eu quase fiz uma intervenção no final do filme, explicando para as pessoas como a história deveria ter sido, hahaha! Insurgente eu só ri por causa do Ansel, hahaha! Mas já tenho medo de Convergente – Parte 1 :(
      Bridget Jones eu assisti depois de ler, mas eu realmente gosto mais dos filmes e não lembro mais dos livros pra poder avaliar, hahaha!

  2. Olha, eu sempre tento, mas é muito dificil de eu conseguir me desprender do filme depois que li o livro. Por isso as vezes prefiro assistir o filme antes de ler. Foi o que aconteceu com O lado bom da vida. Gostei muito dele como filme, mas dp que li o livro fiquei “mas gente, esse não foi o filme que eu assisti!”
    Tirando Lugares Escuros, que não li nem assisti, concordo com vcs no outro. Mas eu desgosto mais de Becky Bloom do que vc. Pra mim, muita coisa se perdeu e a Isla não é a Becky que eu imaginei quando li.
    E fazendo considerações sobre o comentário da Rafa, Bridget Jones é outro que eu assisti antes de ler, por isso consigo desprender livro/filme e amar os dois!! Se bem que No limite da razão eu li antes… Mas mesmo assim é como se os livros fossem uma história e os filmes outra coisa.

    1. Eu até consigo avaliar como um filme independente, mas as “falhas” enquanto adaptação estão sempre ali. É como disse no post, não quer dizer que não gosto dos filmes citados… mas poderiam ser melhores. Agora, O Lado Bom da Vida é tão absurdo que eu nem consigo avaliar como avulso porque eu fiquei indignada num nível sem precedentes, hahaha! Sobre Becky, gosto da Isla, mas o Hugh Dancy não era meu Luke nem de longe – meu Luke sempre foi o Christian Bale, don’t ask me why!

  3. Me lembro da sua revolta quando saiu da sessão de O Lado Bom da Vida hahahah! (e preciso ler o livro :x)

    De fato, existem filmes que mesmo sendo adaptações ruins, ainda são bons filmes – e essa falta de fidelidade até pode ser justificada ou tolerada. Dessas eu não tenho muitos sentimentos ruins, hahahaha. Agora a pior adaptação, para mim, de fato, é a do filme de 2002 do Conde de Monte Cristo (mas isso você também já sabia!). A maior das ironias é que de todas as adaptações que já assisti (incluindo as em P&B), o ator de 2002 foi o mais competente, mas o roteiro dado a ele foi simplesmente lamentável. Aliás, não só o roteiro dele, o filme inteiro foge COMPLETAMENTE da essência da obra original…e tudo isso para virar um pastelão hollywoodiano clichê :( se fosse para fazer uma história tão idiota, nem precisaria chamar de adaptação do Conde – talvez fosse até menor pior, nesse caso hahaahha.

    Beijos!
    (sim, eu tinha que falar do Conde, perdão hahaha)

    1. Queria matar mil!
      Você sempre reclama dessa adaptação e, mesmo eu nunca tendo lido nem visto, entendo a frustração, ainda mais que o ator fez bonitinho, né? Mas, relaxa (ou não), que esse tipo de obra sempre ganha uma adaptação aqui e ali, hahaha!
      Beijos!

  4. Percy Jackyson eu assisti somente 20 minutos porque foi impossível continuar, sério, péssimo chega até ser um adjetivo bom perto do filme. Affff

  5. Pra mim a pior adaptação é a de Água para Elefantes. O livro fala muito sobre amor aos animais e o filme ignora quase que totalmente isso. Sem contar que o filme começa no fim do livro deixando a história sem sentido. Ah e o personagem principal é ruivo – isso é muito falado no livro – e adivinha quem fez o papel do Jacob? O Robert Pattinson. Fiquei reclamando o filme o todo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s