Como economizar e comprar (muitos) livros

Já me perguntaram várias vezes como faço para comprar livros sem ir à falência, ao que respondo “e quem disse que eu não vou à falência?”. Mas, felizmente, é brincadeirinha, até porque existem vááááárias maneiras de economizar na hora de aumentar a população da estante. Eu poderia sugerir que você vá à biblioteca ou peça emprestado aos seus amigos, no entanto, se você é bookaholic como eu, sei que essas alternativas não serão tão apetitosas. Por isso, listei algumas dicas e truques para que você seja um comprador feliz e consciente – e que tenha dinheiro para continuá-lo sendo.

* O primeiro passo para não ir à falência é estabelecer um orçamento mensal para a compra de livros – o meu é de R$ 100 e nem sempre chego ao limite. “Ah, mas é pouco dinheiro! São muitos livros!”. Eu sei. Mas eles não vão fugir e estarão lá no próximo mês. Controle-se!

* De nada adianta estabelecer um orçamento mensal não respeitá-lo. No entanto, sempre podemos lançar mão da lei da compensação – para mais e para menos. Ou seja, se você gastar mais do que o budget em um mês, transfira o débito para o mês seguinte. E se gastar menos, faça o mesmo com o crédito. Mas é importante ressaltar que estamos falando de uns R$ 10, no máximo, R$ 15. Não adianta gastar o dobro todo mês e depois reclamar que as contas não estão fechando.

* A não ser que realmente seja um comprador compulsivo, a ideia é que você mesmo seja o responsável por fiscalizar o orçamento mensal. Se isso for um incentivo para não respeitá-lo – porque, afinal, ninguém está vendo mesmo -, lembre-se de que esse será você fazendo a si mesmo de idiota. No mínimo, improdutivo.

* Se você decidir estabelecer um orçamento mensal para livros, controle os gastos com a ajuda de uma planilha. É fácil: basta anotar quais obras você comprou e por quanto. Só não vale “esquecer”.

planilha

* Se existe algo que realmente vale a pena comprar pela internet são os livros. Eles já são quase sempre mais baratos online e as lojas (principalmente a Amazon) adooooram fazer promoções realmente imperdíveis – eu, por exemplo, comprei Esposa 22 por R$ 4,96 \o/

Pesquise preços. Eu sei, são apenas livros e, para algumas pessoas, R$ 5 ou R$ 10 a menos não fazem diferença. Que bom! No entanto, quando você lê e compra, em média, cinco livros por mês – afinal, precisamos repor o estoque -, pagar R$ 30 ou R$ 40 por cada um pode pesar no orçamento. Por isso, dedique um tempinho à pesquisa de preços – e o Buscapé está aí para facilitar sua vida.

Tenha noção dos preços dos livros que quer. O valor dos títulos pode variar de acordo com a editora e o autor. Por isso, é importante saber quais livros são considerados baratos por R$ 25 e quais vale a pena esperar para comprar por R$ 10. E isso você só irá descobrir pesquisando.

Acompanhe os preços e tenha paciência. Assim como alguns livros estarão sempre caros (olá, Murakami!), outros costumam ficar mais baratos com o tempo – felizmente, a grande maioria. O segredo aqui é pesquisar com regularidade e se controlar para não cair em tentação.

* Se você estiver desesperado para ter um determinado livro – especialmente se for lançamento – e não quiser esperar, compre e não pense no preço. É para isso também que você se controla em outros momentos :) – só não vale fazer isso com todas as obras, mas fica pela sua consciência.

Tenha um e-reader. É um investimento de, pelo menos, R$ 200, mas vale cada centavo e não só pelas funcionalidades. Com o Kindle (o meu é o Paperwhite), por exemplo, é possível comprar e-books na Amazon por menos de R$ 5 ou até mesmo de graça – caso de The Unbecoming of Mara Dyer The Selection, respectivamente. De novo, é preciso pesquisar e ficar de olho nos preços, pois alguns títulos custam mais de R$ 20 – o que considero um “roubo” por algo que você não terá fisicamente. Dica: quando você compra na Amazon física, eles te oferecem a versão e-book de algumas obras, para que você possa ler enquanto o livro não chega. Legal, né?

the-unbecoming-of-mara-dyer

O e-reader facilita o acesso a obras gratuitas e não estamos falando de contrabando – também existe essa opção, mas aqui vamos falar apenas de meios legais de economizar, ok? No Brasil, você encontra e-books de muitos títulos – a grande maioria é de clássicos – no Domínio Público (dica da Rafa). Quem lê em inglês também pode acessar o Project Gutenberg (dica da Pri).

* Se você está cheio de livros que não quer mais, aposte nas trocas pelo Skoob. Fiz um guia completo sobre o assunto aqui e garanto que é uma ótima forma de economizar e ainda se livrar de obras que só ocupam espaço na sua estante.

* Uma dica idiota óbvia, porém válida: não compre livros que você não quer de verdade. Tente fazer compras pontuais e estabeleça prioridades em sua wishlist. Muitas vezes, compramos títulos na impulsividade e acaba que o tempo passa e você acaba perdendo a (pouca) vontade que tinha de lê-lo.

* O seu ritmo de leitura dita o seu ritmo de compras. Ou seja, tente não comprar mais livros do que você lê por mês. É matemática pura ;)

Ufa… acho que esses são os meus truques para economizar sem deixar de aumentar a minha coleção. Espero que ajude – e quem tiver mais dicas, compartilha aí :)

Anúncios

7 thoughts on “Como economizar e comprar (muitos) livros

  1. Muito legal as dicas, Ná!!!
    Ultimamente não tenho comprado nada de livro, mas essas dicas teriam sido úteis na época que eu estava louca compulsiva. kkkkkkkkkkkk Agora estou focando em fzr trocas e ler o que eu já tenho… O que já é muita coisa.

  2. Pq você não fez essas dicas há uns 2 anos atrás? hauhauahuaa
    Eu era a louca dos livros, quando tinha aquela promoção de livro do submarino em que era 3 por 10 reais cada, comprava até os que não iria ler…
    E um e-reader pra mim é o maior investimento com custo benefício! Melhor coisa que já comprei. Tanto que não compro livros novos já tem mais de 3 meses.
    =D

  3. Também tenho cota mensal e como aqui só tem a Nobel – que é o olho da cara – sempre peço pela net e pesquiso muuuito antes! Como já tenho um número de livros na estante para uns 2 meses de leitura, vou juntar o dinheiro da “livrada” (mesada kkk) para comprar um Paperwhite! Finalmente me rendi! Tinha muito preconceito e achava que nunca iria querer ler um livro que não fosse o físico, mas é tão prático para viajar e também para você ler o livro na hora que quer sem ter que esperar o sedex. Embora eu ame essa expectativa do correio chegar…hahaha

    1. Melhor coisa que você faz :) Eu também tinha esse preconceito/receio antes de comprar o Kindle, mas foi um ótimo investimento. Com ele consigo ler muitos livros antes de chegarem ao Brasil e, quando amo muito algum, me permito comprar a versão física para ter na estante. Acho que, hoje, tenho o melhor dos dois mundos hahaha

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s