De: mim | Para: mim mesma

IMG_0898

No final do ano, eu sempre preferi escrever retrospectivas do que listar resoluções. Porque acredito que retrospectivas sejam celebrações, enquanto resoluções soam mais como cobranças. Por isso, quando a Rafaela escreveu uma linda e divertida carta para ela mesma de 10 anos atrás, eu soube que precisava copiar a ideia. Então, aqui vai a minha carta para a Nádia de 16 anos e minha sugestão de que todos participem dessa brincadeira.

Querida Nádia de 16 anos,

É neste ano, 2005, que sua vida toda começa a mudar para sempre. Eu sei, tecnicamente, nossa vida muda para sempre a cada dia, mas, escute o que eu estou te dizendo, 2005 é o ano. Você acabou de começar a faculdade de jornalismo e está animada, mas também assustada. E eu te entendo, afinal, 16 anos é realmente muito pouco para escolher a profissão que pretendemos exercer para o resto da vida. Mas pode ficar calma. Porque, nos 10 anos que estão por vir, você vai se frustrar muito (mesmo) com o jornalismo e até pensar que fez a escolha errada. Mas o seu amor pelas palavras, por escrever, só irá crescer. E isso foi o que você melhor aprendeu durante a faculdade.

No final desse ano, você irá a livraria com o Bruno, da faculdade, e não vai resistir à capa fofa de O Diário da Princesa. E, acredite, diferente de todos aqueles livros chatos que você deveria ter lido na escola, esse vai ser simplesmente devorado por você. A Karina, sua amiga da escola, irá te sugerir vááááários outros títulos e, te juro, ler se tornará uma paixão cada vez maior. Aqui, no meu tempo, sua meta é ler 75 livros em 2015. Louco, né?

Voltando ao jornalismo, daí um ano, mais ou menos, em 2006, você vai cismar que quer trabalhar na Band. É, a TV. E, como sempre, não será fácil chegar lá. Mas não desista porque, depois de quatro tentativas, vai dar certo e onde mais tem a ver com você: no departamento de esportes. Você vai aprender muito, cometer alguns erros (tipo deixar as fitas fora do ponto) e conhecer um monte de jogador que você só via pela TV – o Neto e o Marcelinho Carioca, por exemplo, serão seus colegas de trabalho. Pode rir, mas é verdade. Ah, e não se esqueça de pedir aquele autógrafo do Nivaldo Prieto para a sua mãe.

Sua sobrinha, a Thabi (que você vai acabar chamando de Tháta, como todo mundo), vai nascer linda e saudável e você vai entender um pouco de como deve ser amar um filho. Afinal, ela é um pedacinho de duas pessoas que você ama demais, além de super talentosa (com desenhos) e inteligente. Daí mais alguns anos, vai ser a vez do Vítor, um menino lindo e engraçado, além de super carinhoso. Aqui, no meu tempo, você já não sabe mais se irá querer filhos. Mas se existe algo que te faz cogitar é o amor e o orgulho que você sente pelos seus sobrinhos.

Você vai conhecer outra pessoa, que não tem absolutamente nada a ver com você – além do Corinthians -, vai terminar seu namoro depois de quatro anos e entender que um amor não precisa ser eterno para ser verdadeiro – não, ele nunca vai te perdoar. Você irá se sentir sozinha e incompreendida, mas, lá dentro, lá no fundo, vai saber que está fazendo o que é certo: sendo fiel a si mesma e suas vontades. Lembre-se de respeitar o sentimento dos outros, sem nunca ignorar os seus. Permita-se, sempre com determinação.

Nessa mesma época, você irá conhecer uma pessoa muito especial (por meio da Pri, lembra?, que você reencontrou no Orkut), mas que você não saberá que é tão especial assim, logo de cara. Ele irá se tornar seu amigo, seu confidente, seu diário virtual. E, eu não quero estragar as surpresas da vida, mas ele será muito mais do que isso, por muitos e muitos anos – para sempre, você vai desejar. E sabe todas aquelas vezes em que você quis que as coisas fossem um pouquinho mais fáceis para você? Bem, com ele, você vai se perguntar o que fez para merecer algo tão incrível e único, apesar  e, ao mesmo tempo, por causa de todas as imperfeições. E, não, eu ainda não descobri a resposta para essa pergunta.

Depois, as coisas vão ficar difíceis em casa e você vai querer jogar tudo para o alto. Mas não jogue porque não vai fazer diferença. Não quero ser portadora de más notícias, mas seu maior medo se tornará realidade e você terá que viver num mundo sem ela. Eu sei que você entende que será melhor assim, para todo mundo. Mas é difícil aceitar, não é? É difícil perdoar Deus ou ela ou seja lá quem for o culpado de tudo isso. E você será forte, mas tão forte, que nunca irá se permitir sentir como tudo isso afetou e sempre irá afetar você. Mas a vida vai te cobrar, então, para evitar transtornos, anote essa dica: o maior exemplo de força é saber a hora de permitir-se ser fraco. Seja fraca. Chore, sofra, esperneie. Porque ele vai estar ao seu lado, pronto pra catar os seus cacos.

Pra completar a tragédia, o Corinthians vai cair pra Série B. Mas fique tranquila, que será bom – acredite em mim. Falando nisso, o Timão também será tema do seu TCC, o livro Corinthians (1990 – 2008): Do auge à redenção. Você vai querer mudar um monte de coisas nele depois de um tempo, mas será digno de muito orgulho. Ah, lembra do seu sonho de fazer o Curso Abril de Jornalismo? Parabéns, você será aprovada! E essa será para sempre uma de suas maiores realizações profissionais – e que vai lhe render anos muito felizes na revista Boa Forma.

Mas daí você vai cismar que quer ser contratada – e com razão, afinal, como planejar uma vida sem estabilidade? Você sempre foi e, provavelmente, sempre será muito racional quanto a isso. E você vai conseguir! Vai voltar a trabalhar no Terra (sua primeira passagem por lá será em 2008/2009), terá seus altos e baixos, mas vai se divertir e descobrir muitas coisas, principalmente o que você não quer para sua vida. Você vai conhecer o Rio de Janeiro e querer chorar com aquela paisagem (você odeia admitir) maravilhosa. Falando em viagem, o Terra vai te dar suas duas primeiras ao exterior: Patagônia do Chile e Ushuaia/Buenos Aires. Você vai se apaixonar por viajar e, nas primeiras férias da sua vida, irá voltar a Buenos Aires e conhecer a charmosa Montevidéu, tudo ao lado dele. Vai ser incrível!

Voltando ao Corinthians… a gente vai ganhar a Libertadores. É sério! Vai ser contra o Boca Juniors e você só precisa se preocupar com o jogo contra o Vasco, nas quartas de final. E, sim, antes que você me pergunte, também vamos ganhar o Mundial – vai ser sobre o Chelsea e não precisa surtar que a bola do Torres não vai entrar. Falando em futebol, você vai ver o Brasil perder de 7 a 1 para a Alemanha durante a Copa em casa, mas não vai se importar porque estará torcendo pro Uruguai. E já que o assunto são as suas paixões… sei que aí, no seu tempo, você não curte ir a shows. Mas, aqui, no meu, você vai simplesmente amar. E verá muitas bandas incríveis – sua favorita, The Killers (duas vezes), Keane, Kaiser Chiefs, Franz Ferdinand, Soundgarden, Blur (juro!!!), Suede (juro também!!!), Garbage, Kings of Leon, Faith no More, Stone Temple Pilots, Alice in Chains e muitas outras que você ainda nem gosta ou conhece.

Olha, Nádia de 16 anos… posso dizer que, nesses 10 anos que estão por vir, você vai levar muitos tombos. Mas vai se levantar de todos eles, sem nunca esquecer de olhar para o lado bom – os aprendizados. E é isso o que faz tudo valer a pena no final, não é? Aqui, você ainda é muito mau humorada e impaciente, mas a gente tem fé de que você vai melhorar. E tudo bem também porque você deve ser muito legal e fofa quando quer porque tem amigos adoráveis. Você também vai descobrir que sua determinação é capaz de levá-la a lugares que você sempre quis e a outros que nunca imaginou. E que sua mania de sonhar com um pé no chão e o outro na lua irá fazer com que você se frustre muito, mas também se reinvente e siga sempre em frente.

Eu não faço ideia do que está por vir nos próximos 2, 10, 30, 40 anos… mas, se eu puder dar um palpite, eu acho que você será muito feliz – porque aqui, no meu tempo, você já é.

Anúncios

19 thoughts on “De: mim | Para: mim mesma

  1. Ficou linda, Ná!!!
    Me emocionei!! E nem achei tão gigante assim.
    E fico mto feliz por, de alguma forma, fzr parte dessa história!! <3

    1. Você faz muito parte dessa história. Primeiro, na escola, me escutando falar sobre certas pessoas… depois, alimentando meu amor por livros… e agora, que re-estreitamos nossa amizade, que espero que seja eterna <3

  2. Ai best q linda vc é <3
    E realmente só assim quando a gente para para analisar tudo o que já vivemos é que nos damos conta do que realmente vivemos e conquistamos!
    =D

  3. Adorei sua carta =D
    Não tinha entendido o contexto da carta quando vocês estavam falando, mas agora entendi. Assim como a Ká me emocionei em vários pontos, mas essa é a graça da vida. É gostoso olhar pra trás e enxergar o que antes eram problemas, como parte da solução nos dias de hoje. Até eu quero copiar :D
    Beijo

  4. Amei, Ná!
    Tocou meu coração…não existe nada melhor do que ver quem a gente ama feliz!!!
    Apesar de todas nossas brigas eu sempre te amei demais e torci por você! Então, me sinto realizada por saber que conseguiu aprender a enxergar a vida mais colorida e perceber que tudo tem o lado bom.
    Então, pelos próximos dez, vinte, trinta anos e quanto mais eu viver, continuarei te amando e torcendo por você…e lendo os seus lindos textos! Rs

    1. <3 <3
      Eu também sempre te amei demais, mesmo com todas as brigas e etc. Eu sou sua irmã mais nova, né, você tem que me ensinar uma ou outra coisa sobre a vida :D Mas saiba que ver a pessoa e mãe incrível que você é só me ajuda a ser mais feliz e enxergar a vida de uma maneira melhor, apesar de tudo de ruim e difícil que ela nos impõe!

  5. Sou totalmente suspeita para falar qualquer coisa sobre essa jornada e sobre você, então não vou me alongar nisso. O texto tá bem certinho e é redundante dizer que ficou lindo e que essa é uma reflexão bastante proveitosa, no fim das contas. Já tive diálogos internos com intuitos parecidos, mas algo direto assim é bem mais legal, curti bastante…

    Fiz uma viagem enquanto lia porque vivi quase todo o seu texto junto com você. Os piores e os melhores momentos. Que falta que a nossa própria voz nos assegurando de que tudo vai ficar bem faz lá atrás, né? “Quem diria”! E apesar de não ser possível querer transformar até o ruim em bom (seria até injusto), é muito, muito, muito legal ver que dá para tirar forças e se recuperar, e ai sim, dessa recuperação, surgir algo bom. E é melhor ainda ver o quanto acertamos…mais do que a gente pensa.

    Amei a Nádia aos 16 e amo a Nádia de hoje. Do jeitinho que ela é.

    1. É verdade! Embora tudo já tenha acontecido e não tenha como mudar nada, é reconfortante nos “ouvir” dizer para nós mesmas que está tudo bem, que, “no fim”, ficou tudo bem. Super recomendo que todo mundo faça esse exercício :)

      Que bom que fez essa viagem porque você realmente estava presente em todos esses momentos e acredito que nada aí tenha sido uma revelação para você agora. Eu acho que a gente nunca será capaz de entender por que algumas coisas são do jeito que são e terminam do jeito que terminam e por isso precisamos focar no que vem depois e no que fica – os aprendizados e a esperança de uma vida mais vazia, por um lado, mas também mais repleta de esperança e “garantias” de que, realmente, a gente sempre dá um jeito pra que tudo “dê certo” no final!

      <3 e eu também amei a Priscila aos 17 e a de hoje.

  6. Oi, Ná! Que linda carta e que experiência divertida! Não sei o que eu diria para a Andressa de 15/16 anos, mas sinto que ela ficaria feliz em me ver hoje, com toda certeza. :)

    Você deveria escrever uma carta para a Nádia do futuro também e esperar para abrir só em determinado ano, aposto que seria tão divertido quanto, haha!

    Um beijo!

    1. Andressa, que surpresa boa ver você por aqui :)
      E, sim, essa é uma experiência bem divertida, que só ajuda a valorizar nossas conquistas e, por que não?, nossos tombos também! Já pensei em escrever uma carta pra Nádia do futuro, mas fico pensando se conseguiria me segurar… hahaha! Vou tentar, quem sabe?
      Beijo!

    1. Que bom ver você aqui :)
      Olha, eu confesso que percebi que fiz mais coisas do que pensava. E é por isso que incentivo todo mundo a participar da brincadeira. Mesmo você achando que perdeu 4 anos com nada, vai descobrir que coisas importantes aconteceram e te levarem onde está hoje :)

      1. ^^
        to querendo fazer um blog pra mim já tem séculos.
        talvez eu me anime e faça o primeiro post com essa carta…veremos, veremos. rsrs

        (sinceramente já demorei tanto a criar pq nunca decido qual nome dar)

  7. Caraca Nádia, que texto perfeito e que vida interessante!!!
    Talvez eu possa estar sendo um pouco inconveniente, mas eu te adicionei no facebook e gostaria de trocar umas ideias com você sobre jornalismo… Adoro escrever e gostaria de trabalhar com isto… Queria conversar com alguém da área para saber se tem futuro ou se estou apenas “viajando”.
    Abraços.

    https://garotasdejales.wordpress.com/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s