Resenha de Amy & Matthew – Cammie McGovern

IMG_8640

Amy é uma garota brilhante e cheia de opiniões e sonhos, no entanto, por conta da paralisia cerebral, não é capaz de falar sem a ajuda de um computador, andar livre do andador e nem mesmo controlar suas expressões faciais e os movimentos do lado esquerdo do corpo. Matthew, por sua vez, é fisicamente perfeito, mas sofre de Transtorno Obsessivo Compulsivo e é refém de rituais repetitivos e irracionais, que arruinaram sua vida social. Em seu último ano escolar, Amy quer fazer amigos de verdade e, quando consegue convencer a mãe super-protetora a trocar os auxiliares profissionais por colegas de escola, ela pede que Matthew, a quem pouco conhece, se inscreva no processo seletivo. Apesar dos problemas com TOC, ele é selecionado e a amizade surpreendente entre os dois toma rumos ainda mais inesperados.

>> Encontre o melhor preço de Ammy & Matthew

Confesso que a vontade de ler Amy & Matthew veio, principalmente, da capa e título super fofos e atrativos e, até começar a leitura, eu não fazia ideia do que o livro iria oferecer. Por isso, fiquei surpresa quando entendi o contexto e também super interessada, já que adoro histórias do tipo. Mas, logo, minha animação deu lugar à pressa de terminar o livro, que se tornou cansativo ao longo da leitura e definitivamente não atendeu às minhas expectativas.

Para começar, detesto o clichê de que as pessoas que parecem precisar de mais cuidados são, na verdade, as mais capazes de ajudar os outros em seus problemas teoricamente menores. Não discordo dessa máxima, no entanto, sempre procuro histórias que abordem este tipo de temática sem ser piegas. Sei que é uma tarefa difícil e é verdade que Amy & Matthew não é assim o tempo todo, mas o suficiente para desperdiçar o grande potencial que a história tinha de realmente fazer refletir.

Amy é uma personagem interessante e tridimensional, sim, mas isso não anula o fato de que é mimada e pedante, principalmente na tentativa de não sê-los. Já Matthew é super insosso, daqueles que “não cheiram, nem fedem”. Uma pena. Lá para o final do livro, que é fluido, mas tem um ritmo cansativo, Cammie McGovern surpreende o leitor e uma grande reviravolta ganha espaço. Uma atitude corajosa da autora, mas não o suficiente para salvar o resto da obra. E se, quando você viu a capa e o título brasileiros da obra de Cammie McGovern, lembrou de Eleanor & Park, de Rainbow Rowell, saiba que não é mera coincidência. Embora as temáticas centrais sejam diferentes, ambas as histórias falam sobre a compaixão e a solidariedade e sobre encontrar companheirismo e compreensão “apesar de” e onde menos se espera.

Título original: Say what you will
Editora: Galera Record
Autor: Cammie McGovern
Ano: 2014
Páginas: 332
Tempo de leitura: 3 dias
Avaliação: 2 estrelas

Anúncios

8 pensamentos sobre “Resenha de Amy & Matthew – Cammie McGovern

  1. Vejo esse livro em prateleiras por aí e acho uma cópia descarada da capa de Eleanor & Park. Isso meio que me irrita… Parecem tentar puxar o sucesso de uma autora para levantar outra. Desconfio.
    Estava ansiosa por essa sua crítica, Nádia. Vi no instagram que você não tinha curtido o livro e achei que sua análise comprovaria meu preconceito com ele! hehehe Obrigada!
    Já não gostei na sinopse. O fato de ela só poder se comunicar com um computador é bem feito? É relevante? Ou isso é esquecido no meio da narrativa?
    E é só paralisia? Que ela teve como?

    1. Eu confesso que sou tonta e fiquei com vontade de ler justamente pela capa e título me lembrarem Eleanor & Park (que eu nem gostei muito, então, vai entender meu raciocínio, haha). Mas concordo com você. A semelhança na história realmente existe e, por isso, a Record resolveu “traduzir” Say what you will para Amy & Matthew para aproveitar o embalo.
      Respondendo às suas perguntas: acho que a comunicação por computador é bem feita, sim, e nenhuma limitação dela fica esquecida durante o livro – aliás, acredito que as dificuldades dela sejam bem retratadas, ponto positivo que eu deveria ter citado na resenha, aliás. E a paralisia é só física mesmo, ela nasceu assim, mas desempenha as funções intelectuais normalmente. Uma pena, o livro poderia ser mesmo muito bom :(

  2. Oi, Na! Bom, logicamente sabes que eu tive uma opinião diferente sobre o livro, já que gostei muito e achei os personagens super envolventes e corretamente estruturados. Aquela reviravolta me deixou um pouco chocada, não sei se foi devida. Acho que meu estilo é mais piegas mesmo! hahaha Beijão!!

    1. Nossa, Bru, a reviravolta foi o que mais me deixou chocada, mas de um jeito bom. Achei realmente corajoso ela abordar o assunto. Ou seja, realmente tivemos opiniões super contrárias sobre esse livro, hahaha! Mas acontece :)

  3. Oi!
    Quando vi que a resenha era desse livro, corri conferir. E fico feliz por não ser a única a pensar assim, mas realmente triste por essa opinião compartilhada ser tão negativa. Uma decepção, infelizmente.
    Beijos.

  4. Tenho visto tantas resenhas de pessoas que amaram esse livro que me surpreendi em ver uma opinião diferente. Válido também!
    A temática não me chama muito a atenção, mas quem sabe uma hora dessas!
    Beijo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s