Resenha de O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks – E. Lockhart

IMG_5842

Aos 14 anos, Frankie Landau-Banks era uma garota comum, a “princesinha” da família, que gostava de ler e participava do Clube de Debates. Um ano depois, ela se transformou na dona de um corpo escultural e opiniões ácidas, além de namorada de Matthew Livingston, o garoto mais popular do colégio tradicional em que estudavam. Mas Frankie quer ser mais do que isso e, quando é proibida de fazer parte da Leal Ordem dos Bassês, sociedade secreta da qual Matthew participa, basicamente por ser menina, ela se revolta e decide mostrar do que uma “simples garota” é capaz.

>> Encontre o melhor preço de O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks

O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks é uma obra de ficção, mas seu grande atrativo não é tanto a trama em si e, sim, a reflexão imposta e a discussão proposta por E. Lockhart. Na obra, a autora vai além de conceitos como machismo e feminismo em uma análise inteligente, profunda e democrática sobre como as mulheres são subestimadas não apenas pelos homens, mas também por si mesmas, e como isso afeta o comportamento e deturpa o papel delas não só na sociedade, como também em suas vidas como um todo.

Então eu fui um monstro, ela pensou. Mas pelo menos não fui a irmãzinha de alguém, a namorada de alguém, uma aluna qualquer do segundo ano, uma garota qualquer – alguém cujas opiniões não importavam.

Além de abordar um tema extremamente pertinente e polêmico de forma corajosa e esclarecedora, E. Lockhart ainda encontra espaço para falar sobre Focault e Pan-óptico, entre outros assuntos, sem soar pedante ou cansativa. Em alguns momentos, as ações e ideias de Frankie me fizeram lembrar de Tyler Durden, de Clube da Luta, de Chuck Palahniuk, e seus conceitos que podem parecer coisa de louco, mas fazem tanto sentido, que chegam até a assustar.

Como eu já havia lido Mentirosos, também de E. Lockhart, foi impossível não compará-lo a O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks e, a princípio, as duas obras parecem bem diferentes. Mas, aos poucos, as similaridades começam a aparecer e, ao final, fica claro que E. Lockhart tem um fraco por verão, famílias ricas, tradições, grupos secretos, segredos, status, mistérios e atos grandiosos, revolucionários e também perigosos.

Mas as semelhanças entre Mentirosos O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks não param por aí. Assim como Cadence, Johnny, Gat e Mirren, Frankie é extremamente leal àquilo em que acredita e está disposta a lutar, ainda que de sua forma, e ir contra um sistema desde sempre estabelecido. Para Frankie, não basta ser vista ou considerada “forte e inteligente, apesar de ser mulher” e ela entende que as tentativas de mudança geram transtornos e desordem e nem sempre nos levam ao resultado esperado. Mas sabe aquela frase de Gandhi, que diz “seja a mudança que você quer ver no mundo”? Frankie acredita nisso.

Título original: The Disreputable History of Frankie Landau-Banks
Editora: Seguinte
Autor: E. Lockhart
Ano: 2008
Páginas: 344
Tempo de leitura: 1 dia
Avaliação: 5 estrelas

Veja mais livros de E. Lockhart

Anúncios

7 thoughts on “Resenha de O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks – E. Lockhart

  1. Melhor livro! Pronto, comentei. Bjos.
    kkkkkk
    Mentira.
    Virei fã da autora, vários sacadas geniais e simples, sem querer que o assunto se torne pedante.
    Acho que a semelhança entre os livros está exatamente na maneira em que ela trata assuntos considerados “polêmicos”. Fora o estilo da narrativa, jogos de palavras, as figurações, enfim, genial.
    Uma das melhores leituras de 2014.
    =D

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s