Resenha de Clube da Luta – Chuck Palahniuk

IMG_4109

O protagonista anônimo de Clube da Luta é um homem comum, mas infeliz no trabalho e vítima de insônia. Até o dia em que conhece o enigmático e peculiar Tyler Durden. Tyler ganha a vida com a produção de sabão e é o fundador do Clube da Luta, que incentiva os participantes ao combate físico pelo simples prazer da destruição e cuja principal regra é: não falar sobre o Clube da Luta. Com sua forma pouco tradicional de ver e viver a vida, Tyler leva o protagonista anônimo a transformar sua existência. Mas é claro que há um preço – alto, diga-se de passagem – a se pagar por isso.

Não é por acaso que Clube da Luta é considerado um clássico moderno, tanto da literatura quanto do cinema. Escrita em 1997, a obra de Chuck Palahniuk mostra, de forma doentia e extrema, porém assustadoramente verdadeira, a maneira como, cada vez mais, nos alienamos de nossas próprias vidas e desejos e nos tornamos reféns das convenções sociais.  A narrativa anônima e não-linear permite realmente entrar na cabeça do protagonista, conhecer o misto de confusão e determinação e se identificar, em maior ou menor grau, em muitos ou poucos pontos.

Talvez tenhamos que quebrar tudo para construir algo melhor em nós mesmos.

Sempre haverá erros, mas o ponto é não se esquecer do resto de você se uma pequena parte talvez ficar ruim.

O humor ácido de Chuck Palahniuk é tão imoral quanto irresistível e é, definitivamente, um dos principais pontos positivos da obra. Antes de saber realmente sobre o que realmente era o Clube da Luta, confesso que pensei se tratar apenas de uma história levemente superficial, regada a humor ácido. Me enganei. O humor ácido está lá, mas a  obra de Chuck Palahniuk é muito mais do que isso e leva a uma reflexão bastante profunda e pertinente, a qual, provavelmente, muitos de nós já nos rendemos: se você é destruído, tem não apenas a chance, mas a necessidade de se reconstruir. E se você permite ser destruído, não é porque é fraco ou vulnerável. É porque é dono de si mesmo.

Título original: Fight Club
Editora: Leya
Autor: Chuck Palahniuk
Publicação original: 1996

*Em 1999, Clube de Luta foi adaptado ao cinema pelo diretor David Fincher, de filmes como A Rede Social e Garota Exemplar. O longa conta com as ótimas atuações de Helena Bonham Carter, Brad Pitt e Edward Norton.

15 comments

  1. Assisti esse filme no mês passado e achei a história muito sem pé e nem cabeça. O tipo de história que prende a atenção mas chega ao fim e eu continuo sem respostas. Vim ler seu post para ver se eu conseguiria compreender melhor a história.
    Achei interessante sua interpretação, enquanto eu fiquei procurando encaixar as peças da trama para que algo fizesse sentido, você analisou as ideologias por trás de tudo. Ótimo post!

    • Obrigada, flor :)
      Realmente, até tentei já entender a lógica da história, mas meio que não tem lógica hahaha não sei se foi porque eu já tinha assistido ao filme, mas achei que o livro dá mais pistas do que realmente está acontecendo na trama. De qualquer forma, recomendo muito a leitura ;)

  2. […] Clube da Luta, Chuck Palahniuk: a obra de Chuck Palahniuk merece o título de clássico contemporâneo por ser um thriller psicológico extremamente bem escrito e original. Ao mesmo tempo em que foge dos clichês, é repleto de frases de efeito que realmente nos fazem repensar a vida. […]

Deixe uma Resposta para 10 quotes inesquecíveis de 2014 | Além do Livro Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s