Cabeça de Vento – Meg Cabot

cabeca-de-vento

Emerson Watts é uma adolescente normal: não é extraordinariamente bonita, nem feia demais; é super inteligente e tira notas boas; tem um lado revoltado e até revolucionário; e seu passatempo preferido é jogar JourneyQuest com seu melhor amigo – e paixão secreta – Christopher Maloney. Isso tudo até o dia em que ela é obrigada a acompanhar a irmã mais nova, Frida, em um evento na Stark , poderosa rede de lojas odiada por ela e Christopher, e é vítima de um grave acidente.

cabecadevento

Quando recobra a consciência, Em descobre que seu corpo não tem mais vida, mas seu cérebro, sim. E sua nova “embalagem” é a de ninguém menos que Nikki Howard, top model e principal rosto da Stark. Como se isso tudo já não fosse complicado o suficiente, o transplante de cérebro é praticamente um segredo de estado e obriga Em a viver a vida de Nikki, se afastando de tudo o que mais gosta: de sua família, dos estudos e, principalmente, de Christopher – que nem imagina que a melhor amiga está viva. Além disso, a agenda lotada da top model toma conta da vida até então normal de Em e, de quebra, ela descobre que a dona original do seu corpo tem muitos inimigos por aí e fez coisas que Em jamais faria.

Sim, a história de Cabeça de Vento é completamente fantasiosa – pelo menos até onde constam meus registros. Mas isso não quer dizer que é ruim, apenas significa que você precisa estar de mente aberta para se deixar envolver. A narrativa é bem dinâmica, o que torna a leitura fácil e rápida. Apesar de estar “presa” no corpo de uma super modelo com poucos amigos, Em é uma adolescente como outra qualquer. Por isso, é fácil se identificar com os sentimentos e preocupações da protagonista.

Em Cabeça de Vento, Meg Cabot exercita mais uma vez sua imaginação hiperativa e explora muito bem o suspense. A princípio, gostei do livro, mas ele ficou bem longe de ser um dos meus favoritos. No entanto, depois de ler Sendo Nikki (a segunda parte da série), entendi que Cabeça de Vento é mais ou menos como uma (grande) introdução para o segundo volume, que é o que traz as emoções e tensões, além de parte da verdadeira história por trás do transplante de cérebro. Mas, sem entregar spoilers, eu posso dizer que vale a pena ler Cabeça de Vento porque Sendo Nikki é o clímax perfeito.

Título original: Airhead
Editora: Galera Record
Volumes seguintes: Sendo Nikki e Na passarela
Autora: Meg Cabot
Ano: 2010
Páginas: 320
Tempo de leitura: 7 dias
Avaliação: 3 estrelas

Veja mais livros de Meg Cabot

Anúncios

3 thoughts on “Cabeça de Vento – Meg Cabot

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s